terça-feira, 19 de março de 2013

Deus te abençoe!

Oração para pedir a chuva


Deus, nosso Pai, Senhor do Céu e da Terra (Mt 11, 21)
Tu és para nós existência, energia e vida (Act 17, 2).
Criaste o homem à Tua imagem (Gn 1, 27-28)
a fim de que com o seu trabalho ele faça frutificar
as riquezas da terra
colaborando assim na Tua criação.

Temos consciência da nossa miséria e fraqueza:
nada podemos fazer sem Ti (Jo 15, 5)..

Tu, Pai bondoso, que sobre todos fazes brilhar o sol (Mt 5, 45)
e fazes cair a chuva,
tem compaixão de todos os que sofrem duramente
pela seca que nos ameaça nestes dias.

Escuta com bondade as orações que Te são dirigidas
com confiança pela Tua Igreja (Lc 4, 25),
como satisfizeste súplicas do profeta Elias (1Rs 17, 1)
que intercedia em favor do Teu povo (Tgo 5, 17-18).

Faz cair do céu sobre a terra árida
a chuva desejada
a fim de que renasçam os frutos (Tg 5, 18)
e sejam salvos homens e animais (Sl 35, 7).

Que a chuva seja para nós o sinal
da Tua graça e da Tua bênção:
assim, reconfortados pela Tua misericórdia (cf. Is 55, 10-11),
dar-te-emos graças por todos os dons da terra e do céu,
com os quais o Teu Espírito satisfaz a nossa sede (Jo 7, 37-38).

Por Jesus Cristo, Teu Filho,
que nos revelou o Teu amor,
fonte de água viva, que brota para a vida eterna (Jo 4, 14).
Ámen.

(Papa Paulo VI)


FONTE:

Prece a São José



São José, pai virginal de Jesus, rogai por nós.

São José esposo virginal de Maria, rogai por nós.

São José, homem justo segundo o coração de Deus, rogai por nós.

São José, custodio fiel da Mãe e do filho de Deus, rogai por nós.

São José, confidente intimo dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria, Rogai por nós.

São José, fiel imitador das virtudes destes Sagrados Corações,rogai por nós.

São José, modelo de vida oculta e de intima união com os Sagrados Corações de Jesus e de Maria, rogai por nós.

São José, modelo de generosidade para com os Sagrados Corações de Jesus e de Maria,rogai por nós.

São José, consolado em vossas provas por estes Sagrados Corações, rogai por nós.

São José, que vivestes em Nazaré na paz dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria, Rogai por nós.

São José, revestido de autoridade paternal sobre o Sagrado Coração de Jesus Cristo, rogai por nós.

São José, ardente em amor pelos Sagrados Corações de Jesus e de Maria, rogai por nós.

São José que aprendestes a doçura, a humildade e a misericórdia na escola destes Sagrados Corações, rogai por nós.

São José, instruído na vida interior na escola destes Sagrados Corações, rogai por nós.

São José, que participais no céu das delícias destes Sagrados Corações, rogai por nós.

São José, que ocupais no céu um lugar perto de Jesus e de Maria, rogai por nós.

São José, poderoso protetor da Igreja, rogai por nós.

São José, compassivo advogado da Igreja, rogai por nós.

Adiantai com vossas suplicas o triunfo da Igreja, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Consolai e protegei a nosso Soberano Pontífice, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Cuidai e defendei a nossa amada pátria, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Pedi para nós o amor dos Sagrados Corações, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Rogai por todas as Famílias, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Rogai por todas a Congregações Religiosas, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Rogai pelos Sacerdotes e os Missionários, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Rogai por todos os Apóstolos dos Dois Corações, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Rogai por todos os pecadores e os que estão no erro, Oh! São José, poderoso com o Coração de Jesus!

Oração:

Oh! Deus, que ofereceis a São José como modelo da verdadeira devoção aos Sagrados Corações de Jesus e de Maria, e a ele nos dais como patrono em meio das provas que afligem ao mundo e a Igreja!

Concedei-nos por sua intercessão a graça de chegar a sermos verdadeiros filhos destes Sagrados Corações.

Vos pedimos pelo mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor.

Amém.

FONTE:

19 de Março - Dia de São José



O culto a São José começou provavelmente no Egito, passando mais tarde para o Ocidente, onde hoje alcança grande popularidade. Em 1870, o papa Pio IX o proclamou "O Patrono da Igreja Universal" e, a partir de então, passou a ser cultuado no dia 19 de março.
Em 1955 Pio XII fixou o dia 1º de maio para "São José Operário, o trabalhador".
Apesar de ter grande importância dentro da Igreja Católica, o nome de São José não é muito citado dentro das fontes bibliográficas da Igreja, sendo apenas mencionado nos Evangelhos de S. Lucas e S. Mateus.

Descendente de Davi, São José era carpinteiro na Galiléia e comprometido com Maria. Segundo a tradição popular, a mão de Maria era aspirada por muitos pretendentes, porém, foi a José que ela foi concedida.

Quando Maria recebeu a anunciação do anjo Gabriel de que daria à luz ao Menino Jesus, José ficou bastante confuso porque apesar de não ter tomado parte na gravidez, confiava na fidelidade dela. Resolveu, então, terminar o noivado e deixá-la secretamente, sem comentar nada com ninguém. Porém, em um sonho, um anjo lhe apareceu e contou que o Menino era Filho de Deus e que ele deveria manter o casamento.

José esteve ao lado de Maria em todos os momentos, principalmente na hora do parto, que aconteceu em um estábulo, em Belém.

Quando Jesus tinha dois anos, José foi novamente avisado por um anjo que deveria fugir de Belém para o Egito, porque todas as crianças do sexo masculino estavam sendo exterminadas, por ordem de Herodes.

José, Maria e Jesus fugiram para o Egito e permaneceram lá até que um anjo avisasse da morte de Herodes.

Temendo um sucessor do tirano, José levou a familia para Nazaré, uma cidade da Galiléia.

Outro momento da vida de Cristo em que José aparece na condição de Seu guardião foi na celebração da Páscoa Judaica, em Jerusalém, quando Jesus tina 12 anos.

Em companhia de muitos de seus vizinhos, José e Maria voltavam para a Galiléia com a certeza de que Jesus estava no meio do grupo.

Ao chegar a noite e não terem notícias de seu filho, regressaram para Jerusalém em uma busca que durou 3 dias.

 Para a surpresa do casal, Jesus foi encontrado no templo em meio aos doutores da lei mais eruditos, explicando coisas que o deixavam admirados.

Apesar da grande importância de José na vida de Jesus Cristo não há referências da data de sua morte.

Acredita-se que José tenha morrido antes da crucificação de Cristo, quando este tinha 30 anos.


sábado, 16 de março de 2013

Papa explica o porquê de ter escolhido o nome Francisco



Cidade do Vaticano (RV) – Milhares de jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas fizeram fila e passaram por um controle rigoroso para entrar na Sala Paulo VI e participar da primeira audiência com o Papa Francisco na Sala Paulo VI. Muitos levaram também suas famílias.

Papa Francisco foi ovacionado pelo público. Sentou-se em sua cadeira no centro do palco e ouviu a saudação do Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais, o Arcebispo Claudio Maria Celli. 

Em seguida, leu um breve discurso, agradecendo todos pelo precioso serviço realizado nos dias passados, na cobertura do Conclave e em sua eleição.

“Vocês trabalharam!” – exclamou, recebendo um imediato aplauso. Disse ainda que a Igreja e a mídia estão juntas para comunicar a verdade, a bondade e a beleza: “Todos nós somos chamados a comunicar esta tríade, essencial”. 

Papa Francisco quis explicar porque “o Bispo de Roma quis se chamar Francisco”. E contou, de modo informal, que a seu lado, no Conclave, estava sentado o arcebispo emérito de São Paulo, Cardeal Cláudio Hummes, “um grande amigo, grande amigo”. 

“Quando a coisa ficou “mais perigosa” – prosseguiu – ele me confortava, e quando os votos chegaram a dois terços, momento em que há o aplauso habitual porque o Papa é eleito – ele me abraçou, me beijou e disse “não se esqueça dos pobres”. 

“Aquela palavra entrou aqui – disse, indicando a cabeça – ‘os pobres, os pobres’. Aí, pensei em Francisco de Assis e depois, nas guerras. E Francisco é o homem da paz, o homem que ama e tutela a Criação... neste momento em que nosso relacionamento com o meio-ambiente não é tão bom, né?”.

Francisco é o homem que nos dá este espírito de paz, o homem pobre... “Ah, como gostaria de uma Igreja pobre e pelos pobres!”. 

Depois de saudar pessoalmente alguns jornalistas, o Papa Francisco concluiu, em espanhol:

“Disse que lhes daria a minha benção de coração. Muitos de vocês não pertencem à Igreja Católica, outros não crêem. Concedo minha benção, de coração, no silêncio, a cada um de vocês, respeitando a consciência de todos, mas sabendo que cada um de vocês é filho de Deus. Que Deus os abençoe”. 
(CM)


FONTE: 

sexta-feira, 15 de março de 2013

Cada Ave Maria

Rosa vermelha


Um tapete de rosas vermelhas



Frei, desde já seja bem vindo a Catolé do Rocha, nós estamos ansiosas pela sua chegada. Que Deus derrame toda a unção do Espirito Santo sobre o senhor e que a sua caminhada até Catolé seja sobre um tapete de rosas vermelhas, rosas essas, colocadas uma a uma por N. Sra. dos Remédios, aquela que vai acolher o senhor de braços abertos. Deus te abençoe! Estamos em oração. Filhas do céu.

Iraneth Campos
De Iraneth Campos
para
Frei José Martins Teixeira Junior, OFMCap.

quinta-feira, 14 de março de 2013

vai voltar

Biografia do novo Papa


Foto: Google imagens

O novo pontífice é o Cardeal Jorge Mario Bergoglio, Papa Francisco, que nasceu em Buenos Aires, na Argentina, em 17 de dezembro de 1936. É Ordinário para os fiéis de rito oriental residentes na Argentina e sem Ordinário do rito próprio.

O Papa jesuíta se formou como técnico químico, mas depois escolheu o caminho do sacerdócio e entrou para o seminário de Villa Devoto. Em 11 de março de 1958, passou para o noviciado da Companhia de Jesus. Completou os estudos humanistas no Chile e em 1963, voltou para Buenos Aires e se formou em filosofia na Faculdade de Filosofia do Colégio máximo San José, de São Miguel.

De 1964 a 1965, ensinou literatura e psicologia no Colégio da Imaculada de Santa Fé e, em 1966, ensinou essas mesmas matérias no Colégio do Salvador, em Buenos Aires.

De 1967 a 1970 estudou teologia na Faculdade de Teologia do Colégio máximo San José, de São Miguel, onde se formou.

Em 13 de dezembro de 1969 foi ordenado sacerdote.

Em 1970-1971, completou a terceira aprovação em Alcalá de Henares (Espanha), e em 22 de abril de 1973 fez a profissão perpétua.

Foi mestre de noviços em Villa Barilari, San Miguel (1972-1973), professor na Faculdade de Teologia, Consultor da Província e Reitor do Colégio máximo. Em 31 de julho de 1973, foi eleito provincial da Argentina, cargo que desempenhou por seis anos.

De 1980 a 1986, foi reitor do Colégio máximo e das Faculdades de Filosofia e Teologia dessa mesma Casa e pároco da Paróquia de São José, na Diocese de San Miguel.

Em março de 1986, viajou para a Alemanha para completar sua tese de doutorado. Foi enviado pelos seus superiores ao Colégio do Salvador e passou para a igreja da Companhia na cidade de Córdoba, como diretor espiritual e confessor.

Em 20 de maio de 1992, João Paulo II o nomeou Bispo titular de Auca e Auxiliar de Buenos Aires. Em 27 de junho do mesmo ano, recebeu na catedral de Buenos Aires a ordenação episcopal das mãos do Cardeal Antonio Quarracino, do Núncio Apostólico Dom Ubaldo Calabresi e do Bispo de Mercedes-Luján, Dom Emilio Ogñénovich.

Em 3 de junho de 1997 foi nomeado Arcebispo Coadjutor de Buenos Aires e em 28 de fevereiro de 1998 Arcebispo de Buenos Aires por sucessão à morte do Card. Quarracino.
É autor dos livros: «Meditaciones para religiosos» del 1982, «Reflexiones sobre la vida apostólica» del 1986 e «Reflexiones de esperanza» del 1992.

É Ordinário para os fiéis de rito oriental residentes na Argentina que não podem contar com um Ordinário de seu rito. Grão-Chanceler da Universidade Católica Argentina.

Relator-Geral adjunto da 10ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos (outubro de 2001).

De novembro de 2005 a novembro de 2011 foi Presidente da Conferência Episcopal Argentina.

Foi criado Cardeal pelo Beato João Paulo II no Consistório de 21 de fevereiro de 2001, titular da Igreja de São Roberto Bellarmino.

É Membro:
das Congregações: para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos; para o Clero; para os Institutos de vida consagrada e as Sociedades de vida apostólica; 
do Pontifício Conselho para a Família: 
da Pontifícia Comissão para a América Latina.

FONTE: 

Um encontro


Foto: facebook

Papa Francisco

Foto: facebook

segunda-feira, 11 de março de 2013

orando pelo Conclave

Como rezar com seus filhos


Reze com seus filhos

Por Julie McCarty
Famílias católicas revelam suas técnicas para ensinar os filhos a rezar.


Você reza com seus filhos? Com que frequência? Por que motivo? Rezar não deve ser uma atividade cotidiana. Assim como se alimentar bem, dormir bem e respirar ar puro são essenciais para o desenvolvimento físico das crianças, a oração é fundamental para seu crescimento espiritual.
Existem muitas maneiras de incentivar as crianças a rezar:

Fale de Deus de modo positivo. 
Mary Wurster (Califórnia, EUA), mãe de quatro filhos, sugere comentar sobre Jesus durante conversas do dia a dia. Por exemplo, pergunte: “Você sabia que Jesus tinha papai e mamãe, como você?”. Ela destaca que é mais fácil para a criança entender sobre Jesus do que sobre Deus, que é muito abstrato.

Comece de forma simples. 
Bart Te-soriero (Arizona, EUA), também pai de quatro filhos, aconselha: “Não force seus filhos a rezar um rosário inteiro ou a participar de uma Adoração do Santíssimo de uma hora. Dependendo da idade, reze com simplicidade”. Comece com uma ave-maria. Toda noite e vá aumentando, gradualmente, até um mistério do Rosário (uma dezena).

Use os cinco sentidos. 
Os católicos costumam rezar, usando elementos como velas, água-benta, imagens, música. Lita Friesen (Minnesota, EUA) e o marido, Mickey Friesen, pais de dois filhos, destacam que é importante trabalhar esses símbolos concretos. Eles organizaram diversas atividades de acordo com a época do ano. Durante o advento, acendem uma vela à noite e colocam as crianças para dormir escutando suaves músicas natalinas. Na Quinta-Feira Santa, eles lavam os pés uns dos outros (incluindo as patas do cachorro de estimação!), para lembrar o lava-pés.

Torne a oração parte da rotina. 
A hora de comer e de dormir parecem ser as melhores para a família rezar junto. Mary Wurster conta que cantava músicas curtas de bênção antes de colocar os filhos na cama. Isso fez com que a hora de dormir se tornasse naturalmente um momento de oração quando as crianças cresceram.

Seja flexível. 
Ainda que você queira ensinar a seus filhos uma postura adequada à oração, lembre-se de que eles ainda estão aprendendo. É melhor que eles rezem sentados no sofá ou deitados no chão, do que tentar mante-los ajoelhados à força, criando resistência à oração, principalmente na adolescência, sugere Bart Tesoriero. Essa flexibilidade pode inclusive estimular a criatividade de seus filhos. Mickey Friesen um dia entrou na sala e viu sua filha, Chloe, dançando. Quando ele perguntou o motivo da dança, ela respondeu com entusiasmo: “Este é meu jeito de rezar!”.

Aproveite momentos especiais para rezar. 
Os pais devem incentivar orações espontâneas, sempre que houver oportunidade. Mary Wurster diz que a família faz uma pequena oração quando ouve uma ambulância passando ou quando percebe que um dos filhos está com medo (assim, ele percebe que Jesus está próximo, mesmo quando a mãe ou o pai não estiverem por perto).
Mickey Friesen sugere aos pais que comentem coisas como “Que lindo dia! Obrigado, Senhor!”, quando estiver passeando com as crianças, e que rezem em momen¬tos tristes, como ao visitar o túmulo de algum ente querido ou ao ver alguém ferido na televisão. Isso ajuda as crianças a perceberem que Deus está sempre com elas.


A Oração dos cinco dedos

Você pode usar esta oração em família ou para ajudar seus filhos a rezar.
O polegar é o dedo mais perto de você. Então comece suas orações rezando pelas pessoas mais próximas: sua família, seus vizinhos etc.
O dedo indicador é o dedo que aponta, indica. Reze por aqueles que direcionam o seu caminho e o ajudam a superar momentos difíceis, como os professores e os médicos.
O dedo médio é o dedo mais alto. Ele nos lembra de nossos líderes. Por isso, reze pêlos governantes de nosso país, pelos diretores de nossas escolas e pelos religiosos da sua paróquia. Eles também precisam da orientação de Deus.
O dedo anular é o dedo mais fraco que temos. Assim, lembre-se de rezar pelos pobres, pelos que estão doentes e por aqueles que passam dificuldades.
O mindinho é o último e menor dedo de todos. É, assim, com humildade, que devemos nos colocar diante de Deus e dos outros. Conforme diz a Bíblia, o menor será o maior entre todos (cf. Dt 7,7). É o momento de, finalmente, rezarmos por nós mesmos, agradecendo e também pedindo a ajuda de Deus.

Matéria retirada da Revista Ave-Maria, Ano 113, Março 2012, pág. 18 e 19.

FONTE:
http://catolicos.vialumina.com.br/index.php/reze-com-seus-filhos/

domingo, 10 de março de 2013

jóias da minha vida

Foto

O que é um Papa?


Dom Henrique Soares da Costa

            Sepultado João Paulo Magno, as atenções voltam-se, agora, para o Conclave que deverá eleger o novo Papa de Roma. Hoje, como para tudo se tem uma opinião – até para o que não se entende -, os noticiários estão coalhados de análises sem sentido, de visões totalmente deturpadas e de opiniões simplesmente simplórias, demonstrando total ignorância sobre o que é a Igreja e sua missão e sobre a identidade e missão de um papa. É triste, pois essa situação mostra até que ponto o Ocidente encontra-se desevangelizado... O cristianismo e a Igreja tornaram-se realidades exóticas, curiosas, algo que já não mais se compreende...
            Papa. Eis uma palavra que desperta tantas emoções: desprezo, ódio, mil preconceitos, desconfiança ou, enfim, veneração, respeito e amor. Que é um papa? Ele é, antes de tudo, Sucessor do Apóstolo Pedro, a quem o Senhor Jesus deu o primado sobre os Apóstolos e sobre todos os discípulos. Esse primado é de serviço e de amor, de modo que o papa é o primeiro responsável por testemunhar Jesus Cristo, Filho do Deus vivo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, Salvador da humanidade. Sua primeira missão não é, portanto, fazer coisas, viajar muito, emanar decretos e normas, mas ser uma testemunha do Senhor Jesus, tal qual é acreditado, amado, adorado e anunciado pela Igreja nesses dois mil anos de caminho.
            Como Pedro terminou seus dias em Roma, no seio da Igreja romana, dando aí o seu supremo testemunho de amor a Nosso Senhor, derramando seu sangue por Cristo, os bispos de Roma são sucessores de Pedro. Como Pedro, a missão deles é sempre recordar, custodiar e proclamar a experiência fundamental da nossa fé: Jesus morto e ressuscitado é o Cristo, o Filho do Deus vivo, o Salvador! O papa é, então, Sucessor de Pedro como Bispo da Arquidiocese de Roma. Com essa Igreja romana todas as outras Igrejas (= dioceses) devem estar em comunhão de fé e de amor – esta é a convicção expressa desde os primórdios da Igreja e que foi se tornando cada vez mais explícita, cada vez mais forte. Também todos os bispos, sucessores dos Apóstolos, devem estar em comunhão com o Sucessor do Apóstolo Pedro, a quem Jesus constituiu cabeça do grupo dos Doze e seu princípio de unidade.
            É uma visão totalmente equivocada pensar o papa como o soberano do Estado do Vaticano ou como um governador-geral da Igreja ou como um monarca absoluto. Nada disso: ele é aquele que deve confirmar os irmãos na fé, com espírito de serviço e caridade. Certo, que isso não significa não saber o que quer nem muito menos admitir que a verdadeira fé apostólica seja colocada em perigo por doutrinas falsas e ambíguas. Na Igreja, a proclamação da Verdade deve ser sempre caridosa e a vivência da Caridade deve ser sempre verdadeira.
            Quando um papa toma posições sobre fé e moral, ele não o faz pensando no que o mundo acha ou no que o mundo espera, mas somente na fidelidade à Palavra de Deus tal como a Igreja sempre a escutou, interpretou e ensinou. As questões que não são dogmaticamente fechadas e, por isso, são questões abertas, podem ser matéria de modificações e esclarecimento por parte de um novo papa; já aquelas que são questões de fé definidas, seja pelo ensinamento solene da Igreja seja pelo ensinamento definitivo não admitem mais modificações. Por exemplo: um papa poderia suspender a obrigatoriedade do celibato para os padres seculares, mas não poderia admitir mulheres ao sacerdócio. A primeira é uma questão de disciplina; a segunda é matéria de fé, ensinada de modo definitivo. Outro exemplo: um papa poderia ainda avançar no delicado tema do uso de anticoncepcionais, mas não pode jamais admitir o aborto ou uma bênção para pares homossexuais ou afirmar que as relações homossexuais são de acordo com o desígnio de Deus. Enquanto a primeira questão comporta alguns aspectos que não estão fechados, as questões do aborto e dos homossexuais são definitivas pela própria Palavra de Deus.
            Então, pensando na eleição do futuro papa, seria bom que ficasse bem claro o seguinte: (1) O papa não é o dono da Igreja nem pode fazer aquilo que bem quer e entende. Ele é o primeiro guardião da fé transmitida uma vez por todas aos cristãos e contida na Escritura interpretada à luz da perene Tradição da Igreja. (2) Conceitos como conservador, progressista, moderado, são conceitos muito relativos. O compromisso do papa e de qualquer ministro de Cristo é com o Evangelho, não com as expectativas do mundo. Um papa que estivesse preocupado em agradar à sociedade secularizada não agradaria a Cristo! (3) As especulações da mídia sobre quem será o futuro papa são desprovidas de fundamentos. Os cardeais votam de acordo com sua consciência. Agora mesmo, neste período de silêncio e maior conhecimento recíproco em que se encontram, podem surgir muitas possibilidades novas, que a imprensa sequer sonharia. Basta pensar em João Paulo I e João Paulo Magno – ninguém esperava a eleição deles. (4) A atitude correta para um bom católico é rezar, suplicando a Deus que nos dê um Pastor sábio e santo, apaixonado por Jesus e fiel à fé da Igreja. Somente assim é que se poderá servir de verdade à humanidade.
            Seja quem for o próximo papa, Bispo de Roma, ele é o Sucessor de Pedro e, como tal, Pastor supremo da Igreja de Cristo. A ele os cristãos devem obediência e respeito sincero pelos seus ensinamentos. Outras considerações: sua origem, suas posições teológicas, seu modo de ser, são de menor importância. Importa que ele seja o que vem em nome do Senhor e, por isso, será bem vindo. No coração dos católicos ficam sempre presentes as palavras do Senhor a Pedro: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja. E as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu roguei por ti para que a tua fé não desfaleça: confirma os teus irmãos! Tu me amas? Apascenta as minhas ovelhas!”.

FONTE: 
http://www.domhenrique.com.br/index.php/artigos/282-que-e-um-papa

A chaminé da Capela Sistina



Cidade do Vaticano (RV) - Instalada na manhã deste sábado, 9 de março, no telhado da Capela Sistina, a chaminé, em formato tipicamente chinês. É a parte terminal de dois canos que conduzirão a fumaça da queima dos votos dos Cardeais eleitores desde os braseiros (Salamandras) instalados dentro da Capela Sistina.
A estrutura mede no total 30 metros, segundo explica Bruno Crollari, dos Serviços Técnicos do Governatorado do Estado da Cidade do Vaticano. A primeira seção é composta por tubos e curvas, seguida por cerca de 20 metros de canos pré-montados fixos, que atingem o sótão. A parte superior, que é visível sobre o telhado, mede 1,5 metros e é resistente à água.
A particularidade destes canos está na sua composição. Existe uma dupla parede formada por cobre na parte externa e aço na parte interna. A estrutura está dotada de um dispositivo eletrônico especial de aquecimento, parta facilitar a imediata saída da fumaça. A chaminé é submetida a alguns testes, com fumaça de cor amarela, para não confundir os visitantes presentes na Praça São Pedro.
Assim, ao menos no que se refere aos braseiros, está tudo pronto para melhor cumprir sua missão de nuntius. Num dos braseiros, de 1938, serão queimadas as cédulas, e naquele de 2005, dotado de dispositivos eletrônicos, serão criadas as fumaças preta ou branca.
Segundo explicou o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, na coletiva deste sábado, a fumaça é obtida queimando-se as cédulas ao final das votações do turno e não ao final de cada votação. Deste modo, se a eleição acontece na segunda votação da manhã ou da tarde, os horários normais da ‘fumaça’ seriam por volta das 12 horas e das 19 horas. É apenas uma indicação e não uma precisação, disse Lombardi.
Ao invés disto, se a eleição do novo Pontífice vier a ocorrer no primeiro escrutínio da manhã ou da tarde, a fumaça, neste caso branca, ocorre no meio da manhã ou no meio da tarde. Assim, o jesuíta à frente da Sala de Imprensa da santa Sé alerta que todos devem estar atentos entre 10h30min e 11 horas, na parte da manhã e entre 17h30 e 18 horas na parte da tarde. (JE)

FONTE: 

terça-feira, 5 de março de 2013

Reunião de Guardiães e Ecônomos


Participei ontem, dia (04), no Convento Coração Eucarístico de Jesus em Caruaru-PE, da reunião dos Guardiães das Fraternidades Capuchinhas da Província N. S. da Penha do NE do Brasil. Sob a coordenação do Ministro Provincial, Frei Francisco Barreto e do Definidor da Formação Permanente, Frei José Soares, nós frades refletimos como está a vida fraterna e quais os desafios encontrados em cada realidade após as transferências. 
Hoje, dia (05), participei da reunião do Conselho Administrativo Econômico Integrador da PRONEB - CAEIP, que é formado pelos ecônomos das Fraternidades, Ecônomo Provincial e os Presidentes das entidades: FREIDAMIAORG e da PÃO DOS POBRES.

domingo, 3 de março de 2013

Chegada no Brasil


Meus queridos amigos e amigas, cheguei no Brasil. Durante a viagem de Lisboa a Recife, já próximo de Fernando de Noronha o voo passou por forte turbulência, como eu nunca tinha visto antes. Mas, com a graça de Deus, chegamos sãos e salvos no Recife e no horário previsto. Quando eu estava sobrevoando a cidade de Lisboa. contemplando o mar que banha Portugal, lembrei-me dos grandes navegadores portugueses que desbravaram os mares em busca de novas rotas comerciais e novas terras. Um mar que fala de saudade, na terra de grandes poetas. terra de Camões e Fernando Pessoa. Esses na foto são um casal que me ama muito e eu os amo também de coração. Eles se chamam Joselito (Lito Pereira) e Lilia. Aos meus irmãos que continuam os seus estudos em Roma o meu forte abraço e os meus mais sinceros agradecimentos por esse tempo de convivência fraterna. Amados e amadas, estou de volta...

Paróquia Santa Maria Mãe

  Igreja-matriz da Paróquia Santa Maria Mãe  Natal-RN, 02/12/2022