sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Novo governo Geral da Ordem do Frades Menores Capuchinhos

Novo governo Geral 
da Ordem do Frades Menores Capuchinhos


Congratulações aos nosso irmãos recém eleitos!

Novo Vigário Geral dos Frades Capuchinhos


Eleição do Vigário Geral   


ESCRITO POR BRONYO | 31 AGOSTO 2012
Com alguns minutos de atraso o Ministro Geral abriu a 11ª Sessão Plenária do Capítulo Geral para a eleição do Vigário Geral e a apresentação do Relatório sobre o trabalho das Constituições, pelo Presidente da Comissão, frei Felice Cangelosi (Prov. de Messina).

 Após o extra omnes, foi iniciada a votação para a eleição do Vigário Geral. Os frades capitulares agora são 171 com a agregação de dois frades eleitos Definidores Gerais, “extra gremio Capituli”. Os escrutinadores, quatro vezes distribuíram e recolheram as cédulas de votação. Na 4ª votação foi eleito frei Štefan Kožuh (Prov. da Eslovênia). Um longo aplauso, o abraço do Ministro Geral e depois dos Capitulares, manifestando a estima e o afeto de todos.

FONTE: http://www.capitulum2012.info/index.php?option=com_content&view=article&id=107%3Aelezione-del-vicario-generale&catid=43%3Aii-settimana&Itemid=188&lang=pt

escolhas


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Eleitos os novos Definidores Gerais dos Frades Capuchinhos



Eleição dos Definidores   



ESCRITO POR BRONYO  |  30 AGOSTO 2012
O dia de hoje foi todo dedicado á eleição dos irmãos chamados ao serviço de Definidor Geral. O Capítulo Geral decidiu que eles passariam de 8 para 9.

A sessão eleitoral iniciou-se às 9 h. Após a invocação ao Espírito Santo e a oração feita pelo Ministro Geral, foi dado o extra omnes. Ficaram na sala os 169 capitulares, os oficiais do serviço eleitoral, o Secretário e Vice-Secretários do Capítulo, os atuários, os intérpretes e os técnicos. Com grande disciplina e disponibilidade os irmãos capitulares fizeram a eleição dos Definidores Gerais por ordem de sorteio. O Ministro Geral extraia de uma cesta, vez por vez o Grupo em que se devia votar. Eis o elenco dos frades eleitos segundo a ordem de votação:

1. NAPCC Fr. Mark Schenk, 
Definidor Geral Prov. Central dos EUA

2. CENOC-ASMEN Fr. Pio Murat, 
Ministro Provincial Prov. da França

3. PACC Fr. Cesar Acuin, 
Ministro Provincial Prov. da Filipinas

4. CCB Fr. Sérgio Dal Moro, 
Prov. Rio grande do Sul

5. CECOC Fr. Štefan Kožuh, 
Ministro Provincial Prov. da Eslovênia

6. CIMPCap Fr. Raffaele Della Torre, 
Ministro Provincial Prov. da Lombardia

7. CCMS Fr. Michael Fernandes, 
Ministro Provincial Prov. de Maharashtra

8. CCA-CIC-CONCAM Fr. Hugo Mejía Morales, 
Secretário do Capítulo Prov. do Peru

9. EACC-CONCAO Fr. Jean-Bertin Nadonye, 
Ministro Vice-Provincial V-Prov.Geral do Congo

A cada um dos eleitos o Ministro Geral pediu o: “Eu aceito!” Nas várias línguas e com expressões diferentes, cada um comprometeu-se em pôr-se a serviço de todos os irmãos da Ordem. A sessão encerrou-se com um forte e prolongado aplauso de obrigado, dos frades presentes, aos Definidores, da parte de todos os frades capuchinhos do mundo.

Frei Sérgio Dal Moro (Prov. Rio Grande do Sul) é o novo Definidor Geral pela CCB (Conferência dos Capuchinhos do Brasil)

FONTE: http://www.capitulum2012.info/index.php?option=com_content&view=article&id=106%3Aelezione-dei-definitori&catid=43%3Aii-settimana&Itemid=188&lang=pt

terça-feira, 28 de agosto de 2012

OFS - Novo Conselho Nacional é eleito em Brasília


Ordem Franciscana Secular - Novo Conselho Nacional é eleito em Brasília
A OFS do Brasil realizou no último fim de semana - de 24 a 26 de agosto de 2012 - o seu 34º Capítulo Nacional Ordinário; o 12º Eletivo. A novidade foi que pela primeira vez utilizou o sistema de votação eletrônica já experimentado pela Juventude Franciscana (JUFRA) em seus Congressos.
Os primeiros a votar dessa nova forma, pela lista em ordem alfabética, foram Alex Sandro Ferreira (SP), Anderson Moura (RJ), Antônio Benedito Bitencourt (PA) e Arion Silva (RJ).
No processo eletivo presidido pela Conselheira da Presidência do CIOFS, Maria Consuelo (Chelito) Nuñez, da Venezuela, delegada da Ministra Geral; acompanhada pelo Assistente Geral Fr. Amando Trujillo Cano, TOR, do México; os cargos para o novo triênio, então, foram votados um a um pelos quarenta e quatro capitulares. Os resultados foram os seguintes:
- Antônio Benedito Bitencourt (PA) foi reeleito Ministro Nacional com 38 votos.
- Vanderlei Suélio (GO) foi reeleito com 30 votos.
- Maria Bernadette Mesquita (SP) foi eleita Coordenadora de Formação com 27 votos, em segundo escrutínio.
- Wigna de Lira (RN) foi eleita Secretária com 36 votos.
- Aluisio Victal (SP) foi eleito Tesoureiro com 23 votos, em segundo escrutínio.
- Marúcia Conceição Conte (PA) foi eleita Conselheira Nacional para a Área Norte com 30 votos.
- Zilmar Uchôa (MA) foi reeleita Conselheira Nacional para a Área Nordeste A com 25 votos.
- Edmilson Brito (SE) foi eleito Conselheiro Nacional para a Área Nordeste B com 35 votos.
- Edvaldo Dias (MS) foi reeleito Conselheiro Nacional para a Área Centro-Oeste com 26 votos.
- Helio Gouvêa (RJ) foi eleito Conselheiro Nacional para a Área Sudeste com 39 votos.
- Izabel Teixeira (RS) foi eleita Conselheira Nacional para a Área Sul com 23 votos.
- Paulo Machado (RJ) foi eleito Assessor Jurídico com 22 votos, em segundo escrutínio.
E, por fim, foram eleitos conselheiros fiscais efetivos: Edivaldo Rogério de Oliveira (RJ), Maria José Coelho (MS) e Nivaldo Moreira (GO); e também os suplentes do Conselho Fiscal: Paulo Gomes (CE), Ubiraci Nascimento (PE) e Cláudio Luiz Lima (RJ).
O Senhor sempre ilumine esses irmãos e irmãs que, neste triênio, assumiram esse serviço de disponibilidade e responsabilidade em favor de toda a fraternidade nacional.

FONTE: http://www.ofs.org.br/site/noticias/item/43-novo-conselho-nacional-%C3%A9-eleito-em-bras%C3%ADlia

Novo Presidente da FFB - Frei Éderson Queiroz OFMCap.


Novo Presidente da FFB - Frei Éderson Queiroz, OFMCap. 

Nos dias 12 e 13 de agosto de 2012, em Canindé, no Ceará, posteriormente ao Congresso Clariano, a Família Franciscana do Brasil - FFB - realizou a Assembleia Eletiva Nacional. A Assembleia teve como objetivo avaliar e apresentar o relatório das atividades realizadas pelo Conselho Diretor do triênio 2009-2012 e das ações promovidas pelos regionais da FFB. Como também, planejar e eleger a nova diretoria para o triênio de 2012-2015. 
Novo Presidente da FFB - Frei Éderson Queiroz OFMCap.

Frei Éderson Queiroz, OFMCap, foi eleito novo Presidente da FFB. Mineiro de Patrocínio (MG), além de ter sido Ministro Provincial no período de 2005 a 2010, ele foi Definidor Provincial da Província Mineira dos Capuchinhos nos triênios (de 1992 a 1995 e de 1995-1998); Vigário Provincial e 1º Definidor Provincial no período de 1999-2001. Na formação e estudos da Província, trabalhou como Mestre de Noviços de 1997 a 1998. De 2000 a 2003, foi Subsecretário Geral da CNBB. Na FFB, foi membro do Conselho Diretor de 2008 a 2012 e Coordenador Geral do Congresso de Santa Clara em Canindé-CE.

FONTE: http://ffb.org.br/site/index.php?option=com_k2&view=item&id=69:novo-presidente-da-ffb-frei-%C3%A9derson-queiroz-ofmcap&Itemid=66

Em solenidade, restos mortais de Dom Helder, Dom Lamartine e padre Henrique são trasladados


Em solenidade, restos mortais de Dom Helder, Dom Lamartine e padre Henrique são trasladados

Dia de homenagens e saudade. O arcebispo de Olinda e Recife Dom Helder Camara e suas obras em favor dos mais necessitados foram lembradas em Missa celebrada nesta segunda-feira, 27, na Igreja Sé, na cidade de Olinda, Região Metropolitana do Recife. Há 13 anos, o Dom da Paz, como era carinhosamente chamado, faleceu em decorrência de uma parada cardíaca. Dom Helder deixou saudade e plantou sementes de amor por onde passou.

O arcebispo metropolitano, Dom Fernando Saburido, presidiu a Concelebração Eucarística que contou com a participação de dezenas de padres e alguns bispos de Dioceses da Província Eclesiástica de Olinda e Recife. A Missa solene teve ares de simplicidade.

Na ocasião, os restos mortais do arcebispo, do bispo auxiliar, Dom José Lamartine; e do padre Antônio Henrique Pereira foram sepultados em túmulos definitivos em uma capela lateral da catedral. Os jazigos já abrigavam os despojos de outros três arcebispos (Dom Luiz Raimundo da Silva Brito, Dom Miguel de Lima Valverde  e Dom Carlos de Gouvêa Coelho). Ao final da celebração, foi feito o traslado. Dom Fernando abençoou o local e as urnas com os restos mortais foram depositadas nos respectivos túmulos. O ato emocionou familiares e amigos dos religiosos. O som das palmas foi o reconhecimento da importância deles para a história da Igreja e do país e mostrou que suas realizações e sonhos continuam vivos.

Na homilia, Dom Fernando ressaltou a dedicação dos religiosos em prol da justiça e da paz. “Em todo caminho espiritual, o fundamental é a justiça e a misericórdia. Hoje, nós lembramos a memória de Dom Hélder Câmara que justamente nos deixou como herança essa preocupação que deu direção a toda a sua vida: ligar a fé com a vida, a adoração a Deus com a justiça e a solidariedade com os pequeninos. Esse foi também o motivo pelo qual o padre Antônio Henrique foi assassinado. Na pastoral da juventude que ele coordenava, ele insistia nessa profecia da justiça social e da coerência entre o que pregamos e o que vivemos. Também a ação pastoral de Dom Lamartine sempre foi nessa mesma linha: organizar bem a pastoral arquidiocesana na orientação clara dessa linha de Dom Helder”, disse.

Membros da Comissão Estadual da Memória e Verdade e autoridades civis, entre elas, o governador do Estado, Eduardo Campos,  estiveram presentes na celebração.

Livro -  “Padre Antônio Henrique – Dissimulações do Regime Militar de 64” é o título do livro lançado pela irmã do padre Henrique, Izaíra Pereira Padovan. Os exemplares foram doados à Arquidiocese de Olinda e Recife pela família do sacerdote e toda a arrecadação com a venda da obra será investida no trabalho da Pastoral da Juventude. O padre Henrique foi assessor da Juventude durante o pastoreio de Dom Helder Camara. 

Fonte: Pascom da Arquidiocese de Olinda e Recife
LINK: http://www.cnbbne2.org.br/2012/08/em-solenidade-restos-mortais-de-dom.html

Eleito o novo Ministro Geral dos Frades Menores Capuchinhos

Frei Mauro Jöhri foi eleito Ministro Geral da Ordem com 147 votos. 



ESCRITO POR BRONYO  |  ROMA - 27 AGOSTO 2012
O LXXXIV Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos elegeu seu Ministro Geral na pessoa de frei Mauro Jöhri. Foi um dia de festa com o almoço comemorativo e uma tarde livre.

O dia iniciou-se com a solene celebração Eucaristica. Às 9 h os frades voltaram à igreja para um momento de oração antes da eleição do Ministro Geral, com invocações e cantos ao Espírito Santo. Da igreja os capitulares passam à Aula magna junto com todos os frades presentes, que se uniram aos capitulares nas invocações. Havia um clima de grande emoção e de expectativa. A Aula é recomposta, o Secretário, ordena o “extra omnes” e ficam na Sala só os frades capitulares, o Secretário do Capítulo e os frades atuários. Em silêncio absoluto é feito a chamada dos capitulares, após a qual, fixa-se a maioria exigida para a validade da eleição e explicam-se algumas formalidades, antes de iniciar a votação. Os escrutinadores se distribuem na Aula para entregar as cédulas e recolhê-las após a o tempo necessário para o voto, fazer a contagem e a apuração. Fora da Sala, no átrio entrevê-se os vultos dos frades que esperam com ânsia. Na Sala há um grande silêncio de expectativa e todos tentam ler na reação dos escrutinadores se houve ou não eleição… Finalmente após ansiosa espera, ainda no silêncio mais absoluto, o Secretário frei Hugo Mejía declara: Houve eleição! O Secretário lê o resultado da votação: frei Mauro Jöhri 147 votos, alguns se apressam em bater palmas, mas todos ficam na expectativa da palavra do eleito. Os rostos dos frades iluminam-se. Um prolongado e forte salva de palmas segue ao “sim!” de aceitação de frei Mauro Jöhri. À mesa da presidência do Capítulo alternam-se os escrutinadores para assinar o documento oficial da eleição. As portas da Sala Capitular abrem-se e entram todos os outros frades que se unem aos capitulares na alegria das congratulações. Após o primeiro momento de alegria, o Secretário proclama para todos o ato da eleição canônica, e convida os frades a virem apresentar as congratulações a frei Mauro Jöhri com um abraço de paz. 

FONTE: http://www.capitulum2012.info/index.php?option=com_content&view=article&id=103%3Aelezione-del-ministro-generale&catid=43%3Aii-settimana&Itemid=188&lang=pt

diferente


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Observador nas Nações Unidas alerta para aumento da intolerância contra cristãos


Vaticano: Observador nas Nações Unidas alerta para aumento da intolerância contra cristãos
D. Silvano Tomasi critica perseguição «subtil» no Ocidente


Rimini, Itália, 23 ago 2012 (Ecclesia) – O observador permanente da Santa Sé junto das agências especializadas da ONU, em Genebra (Suíça), denunciou hoje o aumento da intolerância religiosa contra cristãos, inclusive na cultura ocidental.

“Há provas bem documentadas que mostram que os cristãos são o grupo mais religioso mais perseguido no mundo de hoje, isto é, o grupo que vê mais limitado os seus direitos, por uma razão ou outra”, disse à Rádio Vaticano D. Silvano Tomasi, que interveio esta manhã, sobre o tema, no encontro de Rimini que decorre na cidade do nordeste da Itália, até sábado.

Para este responsável, na cultura ocidental a estratégia passa por “dizer ou pensar que a religião é um impedimento para a liberdade individual”.

“Assim, temos uma situação contrária ao que é afirmado: não é o grupo religioso que impede a afirmação do direito de alguém, mas é a posição pública que limita o direito de quem acredita ou tem uma fé religiosa”, refere.

D. Silvano Tomasi fala numa “estratégia subtil, mas muito eficaz, porque acaba por impedir a possibilidade de que os valores cristãos venham a ter o seu papel nas decisões públicas”.

O observador permanente da Santa Sé destaca ainda que o aumento da intolerância religiosa passar por limitações à “liberdade dos crentes”, por parte do Estado, e mesmo por “perseguições” às comunidades religiosas.

Essa violência, sublinhou, pode levar ao “exílio”, como está a acontecer com os cristãos na Síria ou no Iraque, vistos como “aliados do Ocidente”.

“Há manifestações violentas, conflituosas, contra comunidades religiosas que levam à desagregação social, para além dos danos infligidos a estas pessoas”, observou.

O ‘Meeting de Rimini’, organizado pelo Movimento Comunhão e Libertação, tem como objetivo proporcionar o encontro entre pessoas de diferentes crenças e culturas, que tenham em comum o desejo de se conhecerem e valorizarem mutuamente.

RV/OC

FONTE: http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?tpl=&id=92221

ENCONTRO DE FORMANDOS 2012 - Frades Capuchinhos


ENCONTRO DE FORMANDOS 2012

Dia 23 de agosto teve início em Natal-RN o Encontro de Formandos da Província Nossa Senhora da Penha do Nordeste do Brasil dos Frades Menores Capuchinhos. Estão participando 32 formandos de todas as etapas postulantado, noviciado e pós-noviciado) e 4 formadores. A temática da reflexão é "Identidade e Senso de Pertença". Na coordenação: o definidor da Formação Inicial Frei Jociel Gomes e os representantes de cada etapa.


sucesso


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Exumação de Dom Helder Camara e nova tumba na Sé


Exumação de Dom Helder Camara e nova tumba na Sé

%u201CA transferência requeria a exumação. O procedimento faz parte das leis da igreja

No último dia 17 aconteceu a exumação de Dom Helder Camara na Sé de Olinda. A partir do próximo dia 27, data que marca os 13 anos de morte do ex-arcebispo haverá o translado do corpo que será realizado com uma celebração aberta ao público, na Sé.

Os restos mortais do ex-arcebispo ficarão no túmulo central do primeiro arco à direita da igreja. O projeto do jazigo foi feito pelo arquiteto Zildo Caldas.  Ao seu lado direito, ficará o corpo de dom José Lamartine (bispo auxiliar) e, ao lado esquerdo, o do padre Antônio Henrique Pereira Neto”, que foi assassinado com dois tiros na cabeça durante o regime militar por causa de sua militância ao lado de dom Helder. 

FONTE: http://proneb-capuchinhos.blogspot.com.br/

3º Missal Romano está em fase de revisão


3º Missal Romano está em fase de revisão
QUA, 22 DE AGOSTO DE 2012 15:34
POR: CNBB

 3o.missal.romano  

A Comissão Episcopal para os Textos Litúrgicos (Cetel), da Conferência nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), está reunida desde o dia 21 de agosto, e irá até o dia 23, para dar continuidade ao trabalho de revisão do 3º Missal Romano Tempo Comum. Nesta fase, a comissão está analisando a tradução para o português já que os textos originais, de Roma (Itália), são escritos em latim.

O trabalho de tradução é amplo e complexo, os textos além de traduzidos, são ajustados de forma com que tenham mais sintonia com as características e a linguagem de cada povo. “Cada Conferência Episcopal deve proporcionar à liturgia, mais sintonia com a cultura e a linguagem. Dessa maneira esperamos levar ao povo católico cristão, a possibilidade de orar e rezar, compreendendo, o melhor possível, o sentido das palavras que são pronunciadas”, explicou o presidente da Cetel, e bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), dom Armando Bucciol.

“Estamos analisando os prefácios, como o texto é em latim analisamos até se há musicalidade, ao traduzir para o português”, disse o arcebispo de Porto Alegre (RS), e membro da comissão, dom Dadeus Grings. O arcebispo disse ainda que o trabalho é feito de forma muito minuciosa devido à complexidade da revisão. “Analisamos cada trecho do texto até chegarmos à unanimidade, então não é um trabalho rápido. É um trabalho muito rico e de muito empenho para chegarmos a um texto mais bonito e significativo”.

Os textos, primeiramente, são traduzidos, a Cetel revisa a tradução. Em seguida, o texto revisado, é mandado para os bispos em todo o Brasil, para que façam emendas. “Em fevereiro ou março de 2013, faremos nossa próxima reunião, a Cetel analisará se acolhe ou não, as emendas dos bispos”, explica padre Hernaldo.

Após a aprovação das emendas pela Cetel, o texto é levado para aprovação na Assembleia Geral dos Bispos do Brasil. Caso, o texto seja aprovado, em votação dos bispos, é enviado a Roma, para que seja reconhecido pela Santa Sé. Para cumprir a atividade, são realizadas três reuniões anuais para a discussão e aprofundamento dos textos litúrgicos.

“O texto só será utilizado depois de totalmente aprovado e totalmente reconhecido por Roma”, disse o assessor. A partir da aprovação de Roma, o 3º Missal Romano passa a ter o uso obrigatório. “Atualmente é utilizada a segunda edição típica, que perderá o vigor quando for publicada a terceira edição”, esclareceu padre Hernaldo.

FONTE: http://www.cnbb.org.br/site/comissoes-episcopais/liturgia/10098-3o-missal-romano-esta-em-fase-de-revisao

Frei Salvio Romero - participando do Capítulo Geral da Ordem do Frades Menores Capuchinhos

 LXXXIV Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos


Frei Salvio Romero (último da foto) - frade capuchinho da Província Nossa Senhora da Penha do Nordeste do Brasil, com sede em Recife-PE -  foi convidado a participar do Capitulo Geral da Ordem representando os frades não ordenados do Brasil. Ele é um frade eremita e mora atualmente no convento de Caruaru-PE. É fundador de uma escola de meditação franciscana com vários grupos espalhados pelo nordeste do Brasil.

Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos - FOTOS

 LXXXIV Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos

Abertura oficial
20 AGOSTO 2012







LXXXIV Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos

Click to enlarge 01-IMG_5665.JPGClick to enlarge 01-IMG_5665.JPGClick to enlarge 01-IMG_5665.JPGAbertura oficial   
20 AGOSTO 2012


Com uma solene concelebração presidida por Dom John Corriveau, ex-Ministro Geral, foi aberta às 9 h de 20/08, o LXXXIV Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. O Ministro Geral saudando D. Corriveau, recordou o que ele escreveu respondendo ao agradecimento do Geral eleito, ao seu serviço de Ministro Geral: “A maior alegria foi a de ter servido à Ordem!”.

Na sua homilia D. Corriveau com ênfase afirma: O profeta Ezequiel, quando suas palavras não conseguiam penetrar no coração de sua geração, pôs-se a pregar com os fatos, com o drama da própria vida, com suas ações. Ninguém mais do que Francisco de Assis compreendia este modo de fazer. “Pregai o evangelho a todo momento e, quando necessário, por meio de palavras”. Citando o Beato João Paulo II ele indica que é a comunhão a resposta profética da Igreja ao individualismo da nossa época: “Fazer da Igreja a casa e a escola da comunhão: eis o grande desafio que está diante de nós no milênio que inicia, se queremos ser fiéis ao designo de Deus e responder às profundas expectativas do mundo” (NMI, 43). Fomos criados para estar em comunhão, para ser família. A vocação à comunhão trinitária – disse ainda D. Corriveau – que para um capuchinho é uma chamada à fraternidade é muito mais do que um slogan; trata-se de uma profunda conversão do coração. Só um coração fraterno e decisivamente relacional pode oferecer ao mundo secularizado uma palavra profética. A conclusão augura que tendo o olhar fixado no Cristo conseguiremos mover com o amor o coração dos homens e mulheres do nosso tempo. Que este capítulo possa descobrir ainda as dimensões relacionais de nosso patrimônio franciscano. Assim ajudaremos a Igreja a dar expressão visível a uma espiritualidade da comunhão.

Leituras, cantos, salmos, orações dos fiéis são anunciados nas diversas línguas, e isto, confirma ainda mais a internacionalidade do evento que celebramos. Ao término da Eucaristia os frades capitulares foram em procissão para a Sala do Capitulo. É uma cena de verdadeira alegria franciscana, bela de ver-se. Completada a sistematização o Ministro Geral, fr. Mauro Jöhri, Presidente do Capitulo, invoca o Espírito Santo sobre os capitulares com a oração da bênção. Depois declara aberto o LXXXIV Capítulo Geral eletivo. Os capitulares receberam as informações necessárias da parte do Secretário provisório do Capítulo, fr. Hugo Mejia, deixam a Aula Magna para reunir-se nos Cetos (grupos), para fazer as várias nomeações e retomar os trabalhos na sessão geral vespertina.

conquistas


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Semana Nacional da Família: Família e a Festa


Cartaz_Sem_Nac._Fam_2012
Semana Nacional da Família: Família e a Festa

Hoje (17), penúltimo dia da Semana Nacional da Família, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), preparou um texto a partir das Catequeses preparatórias ao 7º Encontro Mundial das Famílias. A mensagem trata da família e a festa, e aborda a importância da festividade no ambiente familiar, para união e celebração entre seus membros. O objetivo do texto é ser mais um instrumento de reflexão, sobre a família, entre as comunidades da igreja.

Leia o texto:



Família e a festa

O ser humano moderno criou o tempo livre e perdeu o sentido da festa. É necessário recuperar o sentido da festa, e de modo particular do domingo, como “um tempo para ser humano”, aliás, “um tempo para a família”. Voltar a encontrar o centro da festa é decisivo também para humanizar o trabalho, para lhe atribuir um significado que não o reduza a ser uma resposta às necessidades, mas que o abra ao relacionamento e à partilha: com a comunidade, com o próximo e com Deus.

Atualmente, a festa como “tempo livre” é vivida no contexto do “fim de semana”. Em vez do descanso e da santificação privilegia-se a diversão, a fuga das cidades, e isto influi sobre a família, principalmente se tem filhos adolescentes e jovens. Os membros da família tem dificuldade de encontrar um momento de relacionamento familiar. O domingo perde a sua dimensão de dia do Senhor e é vivido mais como um tempo “individual” do que como um espaço “comum”.

O tempo livre no domingo torna-se com frequência um dia “móvel” e corre o risco de não ser mais um dia “fixo”, dificultando o encontro familiar. As pessoas não descansam somente para voltar ao trabalho, mas para fazer festa. É mais oportuno do que nunca que as famílias voltem a descobrir a festa como lugar do encontro com Deus e da proximidade recíproca, criando a atmosfera familiar sobretudo quando os filhos são pequenos. As realidades vividas nos primeiros anos na família de origem permanece inscrito para sempre na memória do ser humano. Também os gestos da fé, no dia do domingo e nas festividades anuais, marcam a vida da família, sobretudo no encontro com o mistério santo de Deus e contribui para a reforçar os relacionamentos familiares.

O encontro com Deus e com o outro é o âmago da festa. A mesa dominical, em casa e com a comunidade, é diferente daquela de todos os dias: a de cada dia serve para sobreviver, mas a do domingo serve para viver a alegria do escuta e comunhão, disponibilidade para o culto e a caridade.

A celebração e o serviço são as suas formas fundamentais da lei, com as quais se honra a Deus e se recebe a sua dádiva de amor: no culto, Deus comunica-nos gratuitamente a sua caridade; no serviço, o dom recebido torna-se amor compartilhado e vivido com os outros. O dies Domini (dia de Deus) deve tornar se, inclusive, um dies hominis (dia do homem). Se a família se aproximar deste modo da festa, poderá vivê-la como o “dia do Senhor”.

Para experimentar a “presença” do Senhor ressuscitado, a família é exortada aos domingos em especial a deixar-se iluminar pela Eucaristia. A missa torna-se a celebração central, viva e pulsante do dia do Senhor, da sua presença de Ressuscitado aqui e agora. A eucaristia concede-nos a graça de celebrarmos o mistério santo de que vem ao nosso encontro. No domingo, a família encontra o sentido e a razão da semana que se inicia.

Participando na missa, a família dedica espaço e tempo, oferece energias e recursos, aprende que a vida não é feita unicamente de necessidades a atender, mas de relações a construir. A gratuidade da eucaristia dominical exige que a família participe na memória da Páscoa de Jesus. Na missa, a família alimentasse na mesa da palavra e do pão, que dá sabor e sentido às palavras e ao alimento cotidiano compartilhado à mesa da família.

Desde crianças, os filhos têm o direito de serem educados para a escuta da palavra, para descobrir o domingo como “dia do Senhor“. A memória do Crucificado Ressuscitado marca a diferença do domingo em relação ao tempo livre: se não nos encontrarmos com Ele, a festa não se realiza, a comunhão é apenas um sentimento e a caridade se reduz a um gesto de solidariedade, que não constrói a comunidade cristã e não educa para a missão. A eucaristia do domingo enquanto nos introduz no coração de Deus, faz a família, e a família, na comunidade cristã, faz de um certo modo a Eucaristia.

O dia do Senhor faz viver a festa como um tempo para os outros, dia da comunhão e da missão. A Eucaristia é memória do gesto de Jesus: isto é o meu corpo entregue, isto é o meu sangue derramado por vós e por todos. O “por vós e por todos” vincula intimamente a vida fraterna (por vós) e a abertura a todos (por todas as pessoas). Na conjunção “e” encontra-se toda a força da missão evangelizadora da família e da comunidade: é doado a nós, a fim de que venha a ser para todos.

A Diocese e a Paróquia constituem a presença concreta do Evangelho no centro da existência humana. Elas são as figuras mais conhecidas da Igreja, pela sua índole de proximidade e de acolhimento em relação a todos.

Na Paróquia as famílias, “Igreja doméstica”, fazem com que a comunidade paroquial seja uma Igreja no meio das casas das pessoas. A vida quotidiana, com o ritmo de trabalho e de festa, permite ao mundo entrar no seio da família integrando os membros da família ao mundo.

A comunidade cristã é convidada a cuidar das famílias, ajudando-as a evitar à tentação de se fechar no seu “apartamento”, no seu “mundinho” e abrindo-as aos caminhos da fé. O dia do Senhor torna-se dia da Igreja, quando ajuda a experimentar a beleza de um domingo vivido juntos, evitando a banalidade de um fim de semana consumista, para realizar às vezes também experiências de comunhão fraterna entre as famílias.

Na família, os filhos experimentam no dia-a-dia a dedicação gratuita e incansável da parte dos pais e o seu serviço, aprendendo do seu exemplo o segredo do amor. Quando, na comunidade paroquial, os adolescentes e os jovens, tiverem que ampliar o horizonte da caridade às outras pessoas, poderão compartilhar a experiência de amor e de serviço aprendida em casa. O ensino prático da caridade, sobretudo nas famílias com um filho único, deverá abrir-se imediatamente a pequenas ou grandes formas de serviço ao próximo.

FONTE: http://www.cnbb.org.br/site/comissoes-episcopais/vida-e-familia/10068-semana-nacional-da-familia-familia-e-a-festa

Desporto: Igreja Católica convida ateus e membros de outras religiões para missa pelos Jogos Paraolímpicos


Desporto: Igreja Católica convida ateus e membros de outras religiões para missa pelos Jogos Paraolímpicos
Episcopado inglês sublinha que competição para pessoas com deficiência é «exemplo único de fé em ação»

Londres, 17 ago 2012 (Ecclesia) – A Igreja Católica convida ateus e membros de outras religiões para uma missa de ação de graças pelos Jogos reservados a pessoas com deficiência, que se realizam em Londres de 29 de agosto a 9 de setembro.

“Esperamos que os atletas paraolímpicos do passado e do presente, católicos, cristãos, de outras religiões ou também ateus, estejam presentes na missa” marcada para 8 de setembro, afirmou James Parker, delegado da Conferência Episcopal de Inglaterra e Gales para a coordenação das Olimpíadas de 2012.

A eucaristia, agendada para às 12h30 na Catedral de São Jorge, em Londres, vai ser uma ocasião privilegiada para “dar graças a Deus pelo precioso potencial que cada vida encerra, em particular, por como ele se manifesta no mundo do desporto”, acrescentou o responsável, citado pela agência noticiosa do Vaticano.

A missa conta com a participação do Coral Dockhead, composto por 40 crianças e jovens provenientes das principais paróquias de Londres, que se apresentou durante a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, a 27 de julho.

A responsável do episcopado para as pessoas com deficiência sublinha que a 14.ª edição dos Jogos Paraolímpicos é “uma oportunidade que não deve ser desperdiçada” porque o evento constitui “um exemplo único de fé em ação e um lugar onde todos dão o melhor das suas capacidades”.

Cristina Gangemi considera que é importante tratar o evento “exatamente com o mesmo entusiasmo e a mesma atenção” reservada às Olimpíadas, que Londres acolheu de 27 de julho a 12 de agosto, dado que os atletas com deficiência enfrentam “os mesmos altos e baixos dos concorrentes olímpicos”.

RJM

FONTE: http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?tpl=&id=92164

defeito


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

13 novos bispos reunidos em encontro da CNBB


13 novos bispos reunidos em encontro da CNBB 


Brasília (RV) - Iniciou-se na tarde do dia 13 o 23º Encontro dos Novos Bispos, realizado na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília.

Com a participação de 13 bispos nomeados desde agosto de 2011 a julho deste ano, e organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, o evento se encerrará na próxima sexta-feira, 17.

O Arcebispo de Palmas (TO) e Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, Dom Pedro Brito, recebeu os novos bispos juntamente com o assessor da Comissão, o Padre Deusmar Jesus da Silva.

Dom Leonardo Ulrich Steiner, secretário geral da CNBB, apresentou as perspectivas das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE).

Na agenda do encontro estão palestras ministradas por Francisco Julio de Souza, ecônomo da CNBB; pelo Padre Francisco de Assis Wloch, subsecretário adjunto de pastoral; além de uma visita à Nunciatura Apostólica.

Criado no Brasil em 1989 com o objetivo de auxiliar os novos bispos a entenderem sua nova função dentro da Igreja, o encontro foi visto como exemplo tanto pelo Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) quanto pelo Vaticano.

Jovens católicos fazem das férias uma missão


Jovens católicos fazem das férias uma missão
Leigos missionários vão dar formação em Cabo Verde e animar comunidades das dioceses de Lisboa, Lamego e Bragança-Miranda

Lisboa, 06 ago 2012 (Ecclesia) – Cerca de 75 membros do movimento católico Jovens Sem Fronteiras (JSF) vão aproveitar parte das férias escolares para darem formação e animação missionária em Cabo Verde e nas dioceses de Lisboa, Lamego e Bragança-Miranda.

A paróquia cabo-verdiana de São Lourenço dos Órgãos, na Ilha de Santiago, recebe em agosto nove jovens e um sacerdote que se envolverão em atividades formativas para crianças, jovens e adultos sobre educação, saúde, cidadania e fé, explica o padre Miguel Ribeiro, missionário Espiritano, em artigo publicado no Semanário Agência ECCLESIA.

Em Portugal as ‘Semanas Missionárias’, que congregam grupos de 15 a 20 jovens durante 10 dias, iniciam hoje em Izeda (diocese de Bragança-Miranda), Alvite e São Joaninho (Lamego).

O programa, que contempla habitualmente o contacto com os mais idosos e as crianças, pode incluir a colaboração na parte religiosa das festas de aldeia, a presença em estabelecimentos prisionais, o anúncio da mensagem cristã porta-a-porta e a realização de encontros com os jovens, entre outras atividades, refere o texto.

Em 2011 as comunidades angolanas de Kalandula e São João de Lobito e os concelhos portugueses de Beja, Bragança, Castro Daire e Moimenta de Beira foram os destinos de iniciativas missionárias protagonizadas pelos JSF, ligados ao Missionários do Espírito Santo.

No ano anterior 16 jovens estiveram em Belo Horizonte, no Brasil, onde realizaram rastreios de saúde, ações de formação a jovens e adultos, explicações escolares a crianças e jovens, apoio a idosos, visitas domiciliárias e catequese.

O dossier do Semanário Agência ECCLESIA é dedicado a iniciativas da Igreja Católica durante agosto.

RJM

Jovens Sem Fronteiras

FONTE: http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?tpl=&id=92033

Dom Jaime celebrará ordenações


Dom Jaime celebrará ordenações

 
foto: Google Imagens

Dois diáconos serão ordenados sacerdotes e seis seminaristas serão ordenados diáconos, dia 24 próximo, às 17 horas, na Catedral Metropolitana de Natal, sob a imposição das mãos e oração consecratória do Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha.

Serão ordenados sacerdotes os diáconos Luciano Inácio da Silva, cujo estágio pastoral realiza no município de Lagoa Salgada, e João Gabriel do Nascimento, atualmente estudando em Roma. Já, os seminaristas que serão ordenados diáconos, são: Manoel Alaíde da Silva, estagiando na Paróquia de Nossa Senhora Mãe dos Homens, em João Câmara; Inácio Lopes, coordenador do Setor Arquidiocesano de Juventude; Wilson Alves, estagiando na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Santa Maria; Pedro Cunha, que faz estágio pastoral na Paróquia de São José, em Angicos; Francisco Ney Lopes, estagiando na Paróquia de São Paulo Apóstolo, de São Paulo do Potengi; e Joseilson de Oliveira, cujo estágio pastoral é realizado na Paróquia de São Miguel Arcanjo, em São Miguel do Gostoso. Todos são alunos do Seminário de São Pedro.

chance


sábado, 11 de agosto de 2012

PAI


foto: Google imagens

Freiras em conflito com o Vaticano prontas para diálogo


Freiras em conflito com o Vaticano prontas para diálogo
por Leonor Mateus Ferreira com AFP, editada por Patrícia Viegas

ESTADOS UNIDOS
As freiras americanas que estão em conflito com o Vaticano devido à sua postura muito liberal em questões como por exemplo a contracepção, manifestaram ontem a sua vontade de dialogar com a Santa Sé, noticiou a AFP.
"Diálogo aberto e honesto" com o Vaticano mas firme em relação aos seus princípios "que não estão comprometidos" é o que pretende a Conferência de Lideranças de Mulheres Religiosas (LCWR), refere um comunicado, citado pela mesma agência noticiosa de divulgado após o fim de uma conferência de tr~es dias. Cerca de 900 delegados dessa conferência representam 57 mil freiras, 80% das freiras católicas norte americanas.
Os representantes reuniram-se em St.Louis, no Missouri (EUA) numa conferência anual que foi dedicada a essas divergências com o Vaticano. A Congregação para a Doutrina da Fé, dirigida pelo americano William Levada, em Roma, lembrou, entretanto, à LCWR, a sua ausência de apoio aos ensinamentos da Igreja sobre temas como a ordenação de mulheres e a homossexualidade, mas também o seu silêncio em relação ao aborto e eutanásia.
Depois dos três dias de trabalho em declaração a Conferência afirmou que "este é um momento de desafio histórico para a igreja e para a LCWR" e expressou o desejo de continuar a representar as mulheres católicas. O diálogo vai continuar "enquanto for necessário, mas será reconsiderado se a LCWR for forçada a comprometer a integridade da sua missão".
A irmã Pat Farrell, presidente da conferência, afirmou que espera um diálogo aberto e franco que levará a um melhor entendimento entre líderes das igrejas e religiosos e ainda que as vozes dos leigos, especialmente das mulheres, possam ser ouvidas nas igrejas. A LCWR pretende usar as suas próximas reuniões no Vaticano para explicar a sua missão e princípios de acção.
A organização pediu ainda aos seus dirigentes que não permitam que o diálogo com o Vaticano consuma todas as suas energias e os distraiam das suas missões. Foi ainda recordado o papel de "voz da justiça do mundo" que é responsabilidade de todos os religiosos.

Encerra-se hoje em Assis o 8º Centenário de Santa Clara


Encerra-se hoje em Assis o 8º Centenário de Santa Clara

Assis (RV) - Hoje, na memória litúrgica de Santa Clara de Assis, encerra-se oficialmente o oitavo centenário dedicado a esta luminosa figura. Oitocentos anos atrás Clara fugia da casa de seu pai em direção à Porciúncula para consagrar-se a Deus, seguindo os passos de São Francisco. 
Ontem à noite, vigília de oração no Santuário de São Damião, enquanto hoje na Basílica de Santa Maria dos Anjos, o Ministro Geral dos Frades Menores, Padre José Rodriguez Carballo preside uma solene celebração eucarística. Sobre a importância deste centenário a Rádio Vaticano ouviu a Irmã Maria Chiara Cavalli, do Mosteiro das Clarissas de Santa Inês, na cidade de Perugia:

R. - "Recordar um centenário - oito séculos, no nosso caso - é recordar as próprias raízes, voltar à graça de nossas origens, ao fluxo do Espírito que é um Espírito eterno no qual também nós vivemos e ao qual podemos almejar".

P. - Oitocentos anos é uma distância de tempo significativa, e todavia Santa Clara ainda é muito atual ...

R. – “Clara de Assis é uma mulher linda; linda com a beleza de quem encontrou Deus e viveu d’Ele, abrindo assim um caminho para os outros seguirem. Olhando para ela, mesmo nestes nossos dias tão cheios de novidades, podemos encontrar o Filho de Deus através do qual nos tornamos filhos, irmãos e mães. Clara disse numa carta a uma sua co-irmã: “Você vai abrigar Aquele que os céus não podem conter”. Para abraçar a todos, Clara acolhe o Senhor Jesus, como Maria, para levar Jesus - o amor que redime e salva – a todas as pessoas. Também hoje, todo mundo está procurando um sentido para a sua existência, uma resposta à pergunta, às perguntas que de qualquer maneira, sempre nos atormentam. As circunstâncias pessoais e sociais nos interrogam; mais cedo ou mais tarde encontramos a dor. Olhando para Santa Clara, encontrando-a nos mosteiros, nas Clarissas, podemos imaginar um caminho para o céu, descobrimos aquele amor que desde sempre procuramos e para o qual nascemos”. (SP)

FONTE: http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=612221
FOTO: Google imagem

superiores


quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Londres 2012: atleta espanhol vai entrar para o seminário


Londres 2012: atleta espanhol vai entrar para o seminário

Lisboa (RV) – Um atleta da delegação olímpica espanhola decidiu consagrar a sua vida a Deus e vai entrar para o seminário assim que terminar sua participação nos Jogos de Londres.

De acordo com a Catholic New Agency, Carlos Ballve, jogador de hóquei em campo, participa pela primeira vez das Olimpíadas e espera aproveitar esta “experiência incrível e preciosa” para “ganhar” mas também “para crescer na vivência da fé e na partilha de Deus com pessoas vindas de todas as partes do mundo”.

O final da prova olímpica vai marcar o início da sua caminhada para o sacerdócio, num seminário na Bélgica, depois de um período de discernimento iniciado em 2005.

No Verão desse ano, a sua vida mudou radicalmente, enquanto estava num campeonato do mundo na categoria de sub-21.

A sua equipe “começou muito mal” a competição e Carlos decidiu “assumir um compromisso com Deus”.

O jovem disse a Deus que “se ajudasse a equipe a melhorar a sua prestação” ele iria até Medjugore (pequena região da Bósnia Herzegovina onde alegadamente ocorreram aparições de Nossa Senhora) em peregrinação com o pai.

A sua seleção “fez história”, conquistou uma inédita “medalha de bronze” e o atleta cumpriu a sua promessa.

No entanto, apesar do reforço que aquele episódio trouxe à sua fé, “alguma coisa dentro de si dizia-lhe” que faltava algo mais à sua vida, “era livre mas não era feliz”.

E foi assim que, mesmo no auge da sua carreira, Carlos Ballve decidiu parar e partir em busca de Deus.

A organização dos Jogos de Londres, que se concluem a 12 de agosto, reservou espaços inter-religiosos de oração e silêncio para os 16 mil atletas de mais de 200 países, incluindo Portugal.

O centro interconfessional da aldeia olímpica inclui mais de 50 clérigos cristãos, judeus, muçulmanos, budistas e hinduístas, entre outros, para "oferecer apoio, cuidado pastoral e ajuda espiritual”, bem como vários momentos de celebração e encontros de grupo, refere o site do evento.

(Ecclesia/RB)

FONTE: http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=611502

Franciscanos levam espírito de Assis às Olimpíadas


Franciscanos levam espírito de Assis às Olimpíadas

Para oferecer apoio espiritual aos torcedores lusófonos que foram a Londres assistir aos Jogos Olímpicos, o frade franciscano português Paulo Coelho está na capital britânica desde 25 de julho, envolvido em ações de rua para o anúncio da mensagem cristã.

O primeiro objetivo da estadia, junto com outro religioso franciscano, Frei Antonio, é disponibilizar ajuda às pessoas que passam pela paróquia de São Francisco de Assis, perto da Vila Olímpica.

Segundo Frei Paulo, os torcedores e turistas utilizam o transporte público para ir à Vila Olímpica e depois voltam diretamente ao centro da cidade; e por isso, quem vai à paróquia são sobretudo fiéis que a frequentam ou residentes da região.

Fonte: Rádio Vaticano

Papa nomeia novo bispo para Campina Grande

Papa nomeia novo bispo para Campina Grande

O Santo Padre, o papa Bento XVI, transferiu na manhã de hoje, 8 de agosto, o bispo de Caicó (RN), dom frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, para a diocese vacante de Campina Grande (PB).

Dom Manoel nasceu Biritinga (BA) em 1954. Estudou Filosofia e Teologia no Seminário São Francisco de Assis, em Nova Veneza (SP). Tem mestrado em Ciência da Comunicação, na Pontifícia Universidade Salesiana, em Roma, e licenciatura em letras pela Universidade Católica de Salvador (BA).

O novo bispo de Campina Grande foi ministro provincial em Salvador (1998 e 2001) e exerceu o cargo de Definidor Geral para a América Latina junto à cúria geral dos Capuchinhos (2002 a 2006).

Seu lema episcopal é “Ide aos meus irmãos” (Jo 20,17).

prioridade


terça-feira, 7 de agosto de 2012

Encíclica e novo livro na agenda do Papa


Vaticano: Encíclica e novo livro na agenda do Papa
Santa Sé revela que Bento XVI concluiu terceiro e último volume da obra «Jesus de Nazaré»

Cidade do Vaticano, 02 ago 2012 (Ecclesia) – O Secretário de Estado do Vaticano revelou que Bento XVI concluiu o terceiro e último volume da sua obra «Jesus de Nazaré» e admitiu que o Papa está a trabalhar numa nova encíclica, a quarta do atual pontificado.

O cardeal Tarcisio Bertone é hoje citado pelo portal de notícias do Vaticano, após ter falado aos jornalistas na tarde de quarta-feira, após uma missa presidida na igreja paroquial de Introd, nos alpes italianos, onde se encontra de férias.

Segundo este responsável, o novo documento papal poderia ser um “grande presente” para o Ano da Fé convocado por Bento XVI, que se vai iniciar a 11 de outubro.

o Papa escreveu até agora as encíclicas Deus caritas est (2005), Spe salvi (2007) e Caritas in veritate (2009).~

Já o  último volume de ‘Jesus de Nazaré’, depois das obras publicadas em 2007 e 2011, vai abordar os chamados 'evangelhos de infância', sobre os primeiros anos de vida de Cristo.

A Santa Sé confirmou hoje em comunicado que o Papa concluiu a redação do terceiro volume, adiantando que neste momento “se está a proceder à tradução nas várias línguas, que serão feitas diretamente a partir do original alemão”.

“Deseja-se que a publicação do livro aconteça ao mesmo tempo nas línguas de maior difusão, o que vai requerer um período de tempo apropriado para uma tradução precisa de um texto importante e aguardado”, acrescenta a nota.

“Vamos ler o terceiro livro de Bento XVI sobre Jesus com avidez e com grande prazer”, referiu, por sua vez, o secretário de Estado do Vaticano.

Na homilia da missa a que presidiu, em que antecipou a memória litúrgica de Santo Eusébio de Vercelas, bispo do século IV, D. Tarcisio Bertone sublinhou que governar significa “assumir a defesa dos mais fracos, dos necessitados”.

O cardeal italiano abordou ainda o tema da “nova evangelização”, convidando os católicos a serem “anunciadores do Evangelho” nos dias de hoje.

“Cada um é verdadeiramente insubstituível em todos os âmbitos para uma ramificação do testemunho de fé: no trabalho, no casamento e na família, como em todos os círculos de amizade e de compromisso social”, afirmou.

Segundo este responsável, o anúncio de um Ano da Fé, nos 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II (1962-1965), é um momento “importante” para “servir a causa do homem” e responder à sua necessidade de Deus.

“Devemos esforçar-nos de muitas formas para redescobrir, através de uma formação verdadeiramente cristã, os muitos tesouros da nossa cultura e fé que escaparam das mãos de tantos e que por isso se tornaram quase irreconhecíveis”, concluiu.

OC

Mensagem para o fim do Ramadão apela à justiça e à paz


Vaticano: Mensagem para o fim do Ramadão apela à justiça e à paz
Conselho Pontifício destaca importância de formar jovens cristãos e muçulmanos para o diálogo inter-religioso

Cidade do Vaticano, 03 ago 2012 (Ecclesia) – O Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-Religioso (CPDIR) enviou uma mensagem aos muçulmanos de todo o mundo pelo final do período penitencial do Ramadão, que se conclui no próximo dia 19, apelando à paz e à justiça.

“No mundo atormentado em que vivemos, torna-se cada vez mais urgente a educação dos jovens para a paz”, refere o documento, hoje divulgado pela Rádio Vaticano.

O texto tem como título ‘Educar os jovens cristãos e muçulmanos para a justiça e a paz’ e é assinado pelo presidente e secretário emérito do CPDIR, o cardeal Jean-Louis Tauran e o arcebispo Pier Luigi Celata, respetivamente.

A mensagem assinala que a justiça e a paz “são inseparáveis da verdade e da liberdade”.

“A justiça é determinada, antes de mais, pela identidade da pessoa humana, considerada na sua integridade; a justiça não pode ser reduzida à sua dimensão comutativa e distributiva”, pode ler-se.

Para os crentes, prossegue a mensagem, “a justiça autêntica vivida na amizade com Deus aprofunda as relações consigo mesmo, com os outros e com toda a criação”.

O CPDIR destaca ainda que “a verdadeira natureza da paz” não se limita à ausência da guerra, nem ao equilíbrio de forças, mas “é fruto da justiça e um efeito da caridade”.

“É importante que os crentes sejam sempre ativos no seio das comunidades das quais são membros, praticando a compaixão, a solidariedade, a colaboração e a fraternidade”, refere a Santa Sé.

Falando aos “caros amigos muçulmanos”, os responsáveis do CPDIR destacam a importância de que se reveste a observância do Ramadão.

“Alegramo-nos convosco por este tempo privilegiado que vos permitiu, mediante o jejum e outras práticas de piedade, aprofundar a obediência a Deus, um valor que também nos é muito caro”, refere a mensagem.

O texto conclui-se com um desafio jovens muçulmanos e cristãos, chamados “a cultivar sempre a verdade e a liberdade para serem autênticos arautos da justiça e da paz e construtores de uma cultura que respeite os direitos e a dignidade de cada cidadão”.

OC

Diálogo da Igreja com não-crentes vai ser primeira iniciativa associada ao Ano da Fé


Vaticano: Diálogo da Igreja com não-crentes vai ser primeira iniciativa associada ao Ano da Fé
Átrio dos Gentios decorre em Assis, terra natal de São Francisco, a 6 de outubro

Cidade do Vaticano, 01 ago 2012 (Ecclesia) – A realização de um encontro entre crentes e não crentes em Assis, Itália, no dia 6 de outubro, vai ser a primeira iniciativa associada ao Ano da Fé, revela hoje o jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano.

“Deus, este desconhecido” é o tema da sessão do “Átrio dos Gentios” na cidade onde nasceu São Francisco (1182-1226), iniciativa que antecipa a abertura oficial do Ano da Fé, que decorre entre 11 de outubro e 24 de novembro de 2013.

A plataforma para o diálogo entre a Igreja Católica e os não crentes “quer reunir e dar forma ao grito muitas vezes silencioso” que o homem contemporâneo lança “a um Deus que para um número crescente de pessoas permanece um ‘Deus desconhecido’”, sublinha o texto de apresentação publicado no site do Átrio dos Gentios.

Diante da “pergunta radical sobre o Divino”, o crente “é desafiado a purificar a sua fé de qualquer ‘possessão’ idolátrica de Deus” e a manifestar “profundo respeito pelo esforço do ‘não crente’ na sua relação com um mistério ao qual não sabe dar um nome e um rosto”, acrescenta a nota.

O “não crente”, por seu lado, é encorajado a “purificar o seu ateísmo de qualquer atitude de suficiência, ou pior, de arrogância para o Divino, e abrir-se ao respeito pelo esforço do crente que vive uma fé não ‘instalada’ em Deus”.

A “nobre figura de Francisco”, que inspira o encontro, aponta “sempre de novo” o caminho do diálogo em torno da fé: “o grito dos povos e da Criação, o grito da paz e da não-violência, o desafio do diálogo inter-religioso e intercultural, uma nova centralidade da contemplação ativa, o grito da beleza contra a fealdade”, acentua a introdução.

O encontro conta com a participação do presidente do Conselho Pontifício da Cultura, o cardeal italiano D. Gianfranco Ravasi, bem como de Dario Fo, Prémio Nobel da Literatura em 1997, que vai recitar o “Cântico das Criaturas”, de São Francisco de Assis.

O evento começa com a interpretação do “Aleluia”, de Haendel, pelo Coro dos Frades Conventuais de Assis, seguindo-se um debate entre o cardeal Ravasi e Corrado Passera, ministro do Desenvolvimento Económico, Infraestruturas e Transportes, sobre o tema “Deus, este desconhecido”.

Até à hora do almoço decorrem encontros paralelos sobre “Os jovens entre fé e niilismo”, “O grito da Terra” e “O grito dos pobres, crise económica global, desenvolvimento sustentável”.

Durante a tarde decorrem os painéis “O diálogo inter-religioso e intercultural para a paz”, “Contemplação e meditação” e “Arte e fé”.

A sessão de encerramento, transmitida em direto pela estação de televisão RAI-1, compreende a recitação de Dario Fo e um debate entre personalidades políticas e o cardeal Ravasi, refere o site do Átrio dos Gentios.

Está também em preparação um “Átrio das Crianças”, agendado igualmente para 6 de outubro, e para o dia anterior um “Átrio da Narração”.

O encontro em Assis é precedido pelo de Estocolmo, na Suécia, a 13 e 14 de setembro, que se vai centrar na relação entre Ciência e Fé.

A 19 de setembro o Átrio dos Gentios assinala o terceiro centenário do nascimento do pensador suíço Jean-Jacques Rosseau (28-06-2012) com um encontro na cidade italiana de Bolonha, presidido pelo cardeal Paul Poupard, primeiro presidente do Conselho Pontifício da Cultura.

O Átrio dos Gentios chega a Portugal a 16 e 17 novembro, estando previstas sessões em Guimarães e Braga.

SNPC/RJM

Prefeito do Vaticano diz que existem duas teologias da libertação

Prefeito do Vaticano diz que existem duas teologias da libertação


O novo prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o arcebispo Gerhard Mueller, colaborador de um dos principais teólogos da libertação na América Latina, reconheceu em uma entrevista que existem duas teologias: "um equivocada e outra correta".
Em uma entrevista publicada nesta quarta-feira pelo jornal do Vaticano, L'Osservatore Romano, o alemão, que foi nomeado em 2 de julho pelo Papa Bento XVI para ocupar o novo cargo, contou como nasceu o seu relacionamento estreito com os teólogos latino-americanos, região que visitou em várias ocasiões, e em particular com o peruano Gustavo Gutierrez, censurado pelo Vaticano nos anos 1980.
"Em 1988 fui convidado por Gutierrez para participar de um seminário. Como teólogo alemão aceitei com algumas reservas, já que conhecia as duas declarações (de censura) da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a Teologia da Libertação publicadas em 1984 e 1986", disse.
"Pude constatar que é preciso distinguir entre uma teologia da libertação equivocada e uma certa", admitiu. "Acho que toda boa teologia tem a ver com a liberdade e glória dos filhos de Deus. Certamente devemos rejeitar a mistura da doutrina marxista da salvação dada por Deus", explicou.
"Por outro lado precisamos nos perguntar honestamente como podemos falar do amor e da misericórdia de Deus diante do sofrimento de tantas pessoas que não tem água, comida, assistência, saúde, que são incapazes de dar um futuro para seus filhos, onde falta dignidade humana verdadeira, onde os direitos humanos são ignorados pelos poderosos", disse.
"Se nos consideramos a família de Deus, então podemos ajudar a garantir que esta situação indigna do homem mude e melhore. Na Europa, após a Segunda Guerra Mundial e a ditadura, construímos uma nova sociedade democrática, graças à doutrina social católica", comentou.
"Como cristãos, temos de enfatizar que valores como justiça, solidariedade e dignidade humana nascem do cristianismo e, desta forma, foram introduzidos em nossas Constituições", acrescentou. O novo prefeito contou que durante quinze anos viveu de dois a três meses por ano na América Latina, "vivendo em condições de muita simplicidade", acrescentou. "Você aprende a conhecer as pessoas, vê como se vive".
O perfil de Mueller como chefe da Igreja é atípico: duramente criticado em seu país pelo movimento liberal "Nós somos Igreja" por suas posições conservadoras e a defesa da chamada "doutrina sã" em questões relacionadas com a Eucaristia e a virgindade de Maria, é ao mesmo tempo amigo de Gutierrez, um dos pais da teologia revolucionária contra a injustiça social na América Latina, que ele considera um professor.


Foto: Google imagens
Dom Gerhard Mueller
O novo prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé

CNBB divulga mensagem aos Diáconos Permanentes do Brasil


cnbb

CNBB divulga mensagem aos Diáconos Permanentes do Brasil


Em agosto, mês das vocações, deparamo-nos com a vocação diaconal e a presbiteral. No dia 10 de agosto, é celebrado o "dia do diácono", na festa de São Lourenço, diácono e mártir e patrono dos diáconos. Em celebração a essa importante data, o Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, dom Pedro Brito Guimarães, saúda aos diáconos permanentes do Brasil e lembra que  “quem aceita seguir Jesus, como seu discípulo, assume a condição de servo, com a vocação de servir.”

Leia a mensagem na íntegra:


Brasília-DF, 7 de agosto de 2012


Mensagem aos Diáconos Permanentes do Brasil

Amados irmãos diáconos,
Tenho Sede!

A diaconia da Igreja decorre da sua íntima união à missão do próprio Cristo, que disse de si mesmo: "Pois o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por muitos" (Mc 10,45). Jesus definiu a sua missão como um serviço que, no fundo, era a realização da vontade do Pai e do seu desígnio de salvação. É assim que Ele se apresenta como Servo que deseja ser reconhecido, seguido e imitado: "eu estou no meio de vós como aquele que serve" (Lc 22,27); "Dei-vos o exemplo para que vós possais agir como Eu agi em relação a vós" (Jo 13,15). A atitude do servo supõe a obediência. Servir é obedecer e pôr a vida a serviço da vontade e do projeto do Pai que O enviou. "É preciso que o mundo saiba que eu amo o Pai e faço como o Pai me mandou" (Jo 14,31). Portanto, quem aceita seguir Jesus, como seu discípulo, assume a condição de servo, com a vocação de servir.

A diaconia na Igreja católica tem a sua origem na diaconia de Jesus. O diaconato é sacramento da caridade aos pobres e excluídos. Vocês, caros diáconos, “são ordenados para o serviço da Palavra, da caridade e da liturgia, especialmente para os sacramentos do batismo e do matrimônio; também para acompanhar a formação de novas comunidades eclesiais, especialmente nas fronteiras geográficas e culturais, onde ordinariamente não chega a ação evangelizadora da Igreja” (DAp 205). Isto quer dizer que vocês, diáconos, não são ordenados para vocês mesmos, nem para se colocar acima dos demais leigos, nem para desempenhar funções diferentes da dos presbíteros e dos bispos, mas para a missão, além do mundo que nos rodeia, para além das fronteiras da fé. Pelo testemunho de vida doada à missão, incorporados a Jesus Cristo, servo e servidor, vocês, por meio do sacramento da ordem, devem revelar a dimensão especial da diaconia do ministério ordenado, ajudando a construir um mundo mais de acordo com o projeto de Deus.

O Concílio Vaticano II, no texto da restauração do diaconado, lembra: “dedicados aos ofícios da caridade e da administração, lembrem-se os diáconos do conselho do bem-aventurado Policarpo: ‘Misericordiosos e diligentes, procedam em harmonia com a verdade do Senhor, que se fez servidor de todos’” (LG 29).

Por causa da dupla sacramentalidade, é de particular importância para vocês, diáconos, chamados a serem homens de comunhão e de serviço, a capacidade de inter-relações com todos. Vocês são diáconos na família, na Igreja, na sociedade e nos locais de convivência e de trabalho. Isto exige que vocês sejam, a exemplo de Abraão, obedientes, acolhedores, diligentes, caridosos (Gn 22,1ss;18,1ss), afáveis, hospitaleiros, sinceros nas palavras e no coração, prudentes e discretos, generosos e disponíveis no serviço, capazes de se oferecer pessoalmente e de suscitar, em todos, relações genuínas e fraternas, prontos a compreender, perdoar e consolar.

Os elementos que mais caracterizam a espiritualidade diaconal são a opção pelo serviço, missão e partilha de vida, a exemplo do amor de Jesus Cristo, que não veio para ser servido, mas para servir. Vocês, diáconos, devem, por isso, ser formados para adquirir, cotidiana e progressivamente as atitudes, que, embora não sejam exclusivamente do diácono, são sinais deste ministério: a simplicidade de coração, o dom total e desinteressado de si, o amor humilde e serviço aos irmãos, sobretudo aos mais pobres, sofredores e necessitados, e a escolha de um estilo de vida baseada na partilha, na pobreza e na missão.

O ministério que vocês recebem tem como missão ajudar a abrir os olhos da Igreja e da sociedade para enxergar a realidade dos pobres, excluídos, marginalizados, desamparados. Ao mesmo tempo suscitar ações, não apenas momentâneas e circunstanciais, mas permanentes, que conduzam à recuperação completa do bem estar e da cidadania cristã dos assaltados pelo capitalismo desumano. O diácono é construtor da solidariedade, na medida em que, pelo seu ministério da caridade, anima e suscita a solidariedade e o serviço em toda a Igreja.

Por ocasião da festa do mártir São Lourenço, patrono dos diáconos, celebrada no dia 10 de agosto, manifestamos nossa cordial saudação a todos vocês, diáconos permanentes do Brasil, com suas famílias - esposas, filhos e filhas -, bem como aos candidatos das Escolas Diaconais, às Diaconias e à Comissão Nacional dos Diáconos. Lembrando, por fim, o que diz o Documento de Aparecida: “A V Conferência espera dos diáconos um testemunho evangélico e impulso missionário para que sejam apóstolos em suas famílias, em seus trabalhos, em suas comunidades e nas novas fronteiras da missão” (DAp 208).

Esperamos que as Diretrizes para o Diaconado Permanente da Igreja no Brasil passem a ser o manual de instrução, a fim de que o diaconado seja implantado em todas as dioceses do Brasil.

Que Maria, serva e mãe do Belo Amor, que guardou e meditou radicalmente a Palavra de Deus em seu coração, sirva de modelo para o serviço que vocês exercem na Igreja e na sociedade.

“Amo a todos vocês no Cristo Jesus” (1Cor 16,24).

Com minha bênção,

Dom Pedro Brito Guimarães,
Arcebispo de Palmas e Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada




Foto: Google imagens

Arquidiocese de Natal-RN celebrará missa em memória do Cardeal Dom Eugênio Sales


Arquidiocese de Natal-RN celebrará missa em memória do Cardeal Dom Eugênio Sales 

A Arquidiocese de Natal celebrará missa por ocasião do 30º dia de falecimento do Cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales. A celebração acontecerá na próxima quinta-feira, dia 9 de agosto, às 16h30, na Catedral Metropolitana, e será presidida pelo Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha.
Dom Eugênio foi bispo auxiliar de Natal, no período de 1954 a 1961. Em 1962 foi nomeado Administrador Apostólico da Arquidiocese, função que exerceu até 1965, quando foi transferido para a Arquidiocese de Salvador (BA) e, depois para o Rio de Janeiro. Ele era irmão do Arcebispo emérito de Natal, Dom Heitor de Araújo Sales.
              Foto: Google imagens

FONTE: http://www.arquidiocesedenatal.org.br/noticias_index/not0708cardeal.htm

chamou


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Agosto, mês vocacional


Google imagens

Agosto é o mes vocacional. Vale a pena recordar o que celebramos no mês de agosto: no primeiro domingo, destacamos o dia do Padre, a motivaçao é a festa de São João Maria Vianney; no segundo domingo, celebramos o dia dos Pais, recordamos, então, o chamado a gerar a vida, a continuar com a obra criadora de Deus. Ser pai e ser mãe, constituir familia, assumir um etsado de vida na Igreja. Motivados pela festa da Assunção de Maria, modelo de todos aqueles que dizem SIM, celebramos, no terceiro domingo, a vocação religiosa masculina e feminina; no quarto domingo, recordamos todos os minsiterios leigos e, no quinto domingo, a vocação dos catequistas.
Por isso convidamos a todos para que rezem pelas vocações. Para que hajam mais sacerdotes, mais religiosos, mais leigos comprometidos com nossa Igreja, Povo de Deus.

ORAÇÃO VOCACIONAL

Senhor da Messe e Pastor do rebanho,
faze ressoar em nossos ouvidos teu forte
e suave convite: "Vem e Segue-me"!
Derrama sobre nós o teu Espírito, que Ele
nos dê sabedoria para ver o caminho e
generosidade para seguir tua voz.

Senhor, que a Messe não se perca por falta
de operários. Desperta nossas comunidades
para a Missão. Ensina nossa vida a ser
serviço. Fortalece os que desejam dedicar-se
ao Reino na diversidade dos
ministérios e carismas.

Senhor, que o Rebanho não pereça por falta de
Pastores. Sustenta a fidelidade de nossos bispos,
padres, diáconos, religiosos, religiosas e
ministros leigos e leigas. Dá perseverança a
todos os vocacionados. Desperta o coração
de nossos jovens para o ministério pastoral em tua Igreja.

Senhor da Messe e Pastor do Rebanho,
chama-nos para o serviço de teu povo.
Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores
do Evangelho, ajuda-nos a responder SIM. Amém.

FONTEhttp://nssc3.misacor.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=102:celebrar-rezar-o-mes-vocacional&catid=39:pubs&Itemid=61/

Paróquia Santa Maria Mãe

  Igreja-matriz da Paróquia Santa Maria Mãe  Natal-RN, 02/12/2022