Agradecimento à fraternidade da Penha

Roma, 01 de maio de 2011.
(Dia da beatificação do Papa João Paulo II)
               
Caríssimos irmãos da Fraternidade da Penha:
                Deixei para fazer os agradecimentos ao chegar aqui em Roma. Toda esta semana foi de organização e hoje pude parar para escrever a vocês. Depois de seis anos em serviço administrativo-econômico na Província, onde vivi intensamente a experiência do ser pastor, estou tendo a oportunidade de parar para reavivar a chama do carisma franciscano-capuchinho em meu coração. Estou aqui para me reabastecer, para crescer na graça e no conhecimento de Deus. Com certeza, aí no Brasil, eu não ia conseguir parar, pois a vida pastoral me encanta e me chama. Diante da carência do nosso povo, sinto o desejo de me envolver, de ajudar, de partilhar e de participar.  Aqui estarei voltado totalmente para a oração e o estudo, pois toda a estrutura favorece esse isolamento necessário. Tudo isso dentro de uma vida fraterna. Pois, aqui no colégio, todos somos frades capuchinhos e formamos uma fraternidade internacional, com oração, eucaristia e missa em comum. Além disso, há os capítulos locais e a distribuição de tarefas, como em toda fraternidade. Ter a oportunidade de voltar a estudar sem estar fora da nossa forma de vida é um privilégio, uma grande graça, melhor não poderia ser. Nós nos apresentamos como da Província de Magnus e Severino, porque foram os últimos dos nossos que passaram por aqui. Antes de viver esta nova realidade, tive um tempo preparatório na nossa Fraternidade da Penha, junto com todos vocês, sob o amor e o amparo materno de nossa querida mãe Nossa Senhora da Penha. Foi um tempo de muita graça divina, onde pude ser um sinal do carinho e do consolo de Jesus para com o seu povo que tanto ama. Minha missão permanece em forma de oração por todas essas pessoas tão necessitadas do olhar compassivo do Senhor e por todos vocês, meus irmãos.
                Tenho muito a agradecer a vocês. Frei Francisco, nosso Ministro Provincial, por todo apoio que nos foi dado até o último momento da nossa partida. Frei Fernando Cornélio que nada me deixou faltar. Frei Jociel que transmitiu muita segurança em todo processo burocrático para estarmos em Roma, sua eficiência foi de fundamental importância para o bom êxito de nossa chegada. Frei França pela confiança a mim concedida dando-me total liberdade e apoio na missa da graça. Frei Genivaldo que se disponibilizou a ficar no hospital comigo no momento mais difícil da minha vida. Frei Jânio pela partilha de vida e pela oração. A todos os frades da Penha pela convivência amiga, o olhar sincero, o sorriso vibrante e o abraço fraterno. Vocês, meus irmãos, são a razão da minha vida, pois sem vocês eu não teria possibilidade de viver o carisma franciscano-capuchinho em fraternidade. Também gostaria de agradecer aos funcionários, sempre prestativos e atenciosos: Ricardo, Teca, Nilza e Silvio. Sou muito grato a todas as pessoas que direta e indiretamente contribuíram para que eu estivesse aqui.
                Farei o possível para honrar o nome da Província Nossa Senhora da Penha do Nordeste do Brasil onde eu estiver.
                Que Deus abençoe a todos!
Frei José Martins Teixeira Junior, OFMCap

Postagens mais visitadas deste blog

Adriano Lima dos Santos

Corpus Christi e Renovação do MESCE