Eleito Novo Governo da Província do Ceará/Piauí dos Frades Menores Capuchinhos

Desde o dia 10 de dezembro, a Província São Francisco das Chagas do Ceará e Piauí, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, está reunida em Capítulo Eletivo, sob a presidência do Definidor Geral, Frei Sergio Dal Moro. Hoje, no período da manhã, os frades elegeram novo governo provincial, veja abaixo:

VALENDO 01


MINISTRO PROVINCIAL: Frei Manuel Henrique Araújo (reeleito)
VIGÁRIO PROVINCIAL: Frei Raimundo Ferreira de Matos
II DEFINIDOR: Frei João Alberto de Araújo
III DEFINIDOR: Frei José Maria Castelo Branco de Lima
IV DEFINIDOR: Frei Edmilson Vieira da Cruz

Que o Espírito Santo os conduza nesta missão inspirados pelo carisma de São Francisco e Santa Clara!


UM POUCO DA HISTÓRIA DA PROVINCIA CAPUCHINHA DO CEARÁ E PIAUÍ

 A Província São Francisco das Chagas do Ceará e Piauí, dos Frades Capuchinhos, é uma obra iniciada pelos frades capuchinhos missionários franceses e italianos, que prepararam o terreno nessa região entre os séculos XVII a XIX; em seguida, os frades Lombardos, por mais de 70 anos, deram continuidade, fazendo a “semeadura”; por fim, os frades nativos do Ceará e do Piauí realizam a colheita, esforçando para tornar uma realidade madura e próspera a implantação da Ordem Capuchinha na região do Ceará e Piauí.

Durante o II Império no Brasil, em 1840, criou-se o Comissariado geral para administrar a ação missionária dos capuchinhos missionários de confiança do governo em obras sociais, capelanias militares e ajuda aos bispos. Solicitados pelo governo do Piauí, os frades assumiram várias frentes, sobretudo a catequese indígena desse Estado e as missões populares. Também apaziguaram revoltas e assistiram aos afligidos por doenças e pela seca (século XIX). No Ceará, atuaram nas regiões do Cariri e Itapipoca, além de realizarem missões em outras cidades e povoados do Estado. Ceará e Piauí ficam sob a gerência da Província Milanesa em 1892.

No final do século XIX, chegam os frades da Lombardia, e vão fundando diversas casas no Maranhão, Pará, e se estabelecem em Canindé, onde constroem um convento, um Seminário Diocesano-Seráfico (que começa a funcionar em 1901) e transformam a antiga igreja na atual Basílica de São Francisco das Chagas. Em 1922, deixam Canindé para assumirem uma Prelazia no Maranhão.

Em 1901, a convite do bispo D. Joaquim, os frades estabelecem-se no centro de Fortaleza, onde assumem o Santuário Sagrado Coração de Jesus e constroem o convento. Parte do santuário caiu em 1957, e foi reconstruído em 1961.

Em 1903, inicia-se uma experiência de catequese que dá origem à Escola Pio X, inaugurada em 1908, extinto em 2005.

Em 1934, os frades chegam a Messejana – Fortaleza, onde constroem o Seminário Seráfico como espaço formativo das muitas vocações surgidas no Ceará e no Piauí. Neste mesmo ano, estabelece-se que o Noviciado das Missões do Norte (Bahia, Pernambuco, Maranhão e Amazonas) acontece em Esplanada – Bahia, e em 1936, o Estudantado em Guaramiranga.

Em 1937, a Missão Maranhense é elevada por decreto a Custódia Provincialícia.

Em 1936, abre-se uma Casa na cidade de Parnaíba – Piauí, inaugurada em 1939, neste período destinado ao Estudantado Teológico.

Em 1938, funda-se em Guaramiranga a Associação Missionária Divina Pastora das Almas, e em 1940, a Tipografia e Redação da Revista Estudantil Frei Mansueto, dois grandes instrumentos de formação cultural e missionária da terceira geração de frades brasileiros formados no Brasil por mais de 25 anos (1940-1966).

Em 1939, os capuchinhos lombardos assumem a Paróquia São Benedito, em Teresina – Piauí (construída nos anos 1874-86 por Frei Serafim de Catânia) e constroem entre os anos de 1940-41 o convento do mesmo nome.

Em 1949, chegam os frades para estabelecerem-se na cidade de Juazeiro do Norte – Ceará, onde se constrói um convento e um grande Santuário de São Francisco das Chagas, inaugurados em 1956.

Em 1959, o governo da Custódia do Maranhão instala, na cidade de Sobral – Ceará, uma Fraternidade capuchinha, que assume a direção da Igreja de São Francisco. E entre os anos 1962-1965 constrói-se o convento ao lado da igreja, que se torna sede do Estudantado de Filosofia.

Em 1964, no centro de Fortaleza, inaugura-se o novo Convento Sagrado Coração de Jesus, que passa a abrigar o Estudantado de Teologia, e no ano seguinte, o de Filosofia.

A CUSTÓDIA E VICE-PROVÍNCIA GERAL

Desde 1934, os missionários lombardos concentraram no Ceará e Piauí as casas de formação, sobretudo por se originar dessa região o maior número de candidatos. Assim, o Ceará e Piauí se tornam para eles terra de formação, e o Maranhão e Pará, terra de missão.

Em 1958, com a criação da Prelazia de Carolina, a Província Lombarda se viu instada pelos compromissos assumidos com a Nunciatura Apostólica de arranjar o pessoal missionário e os meios financeiros para manutenção daquela. Para isso, o provincial de Milão fez uma visita à Custódia do Maranhão no ano de 1959, e as orientações e aconselhamentos se dirigiam em particular aos frades brasileiros concentrados no Ceará e Piauí, visando incentivá-los a participarem na preparação da elevação de uma parte da Custódia Maranhense a Comissariado Geral, e isto em espírito de paz e harmonia. Isto teve o parecer favorável da UCB (atual CCB) e dos frades nativos. A transição começou já na eleição do Conselho da Custódia para o triênio 1962-1965, onde houve quatro Assistentes ao invés de dois, e sendo dois brasileiros, indicados pela maioria dos frades nativos; são eles: Frei Timóteo de Canindé e frei Conrado de Palmácia. Foram re-eleitos para o segundo governo de transição 1965-1966.

Neste último ano, então, um relatório do frei Arialdo diz que os capuchinhos dos dois Estados “tem as condições de vida comum, apostólica, missionária, econômica e sobretudo de observância regular, vida de oração e de vida litúrgica atualizada, que não deixam dúvida quanto ao futuro do projetado Comissariado Geral confiado aos frades brasileiros”. A nova Circunscrição Capuchinha, formada pelo Ceará e Piauí, tornou-se não Comissariado, mas Custódia Geral de São Francisco de Assis do Ceará e Piauí, desmembrada da Custódia Maranhense e aprovada pelo Padre Geral Frei Clementino Vissingen, mediante o decreto de 16 de novembro de 1966.

O Decreto da Custódia de São Francisco de Assis foi executado pelo então custódio provincial, Frei Arialdo de Levrange, no convento Sagrado Coração de Jesus, em Fortaleza, que se tornou sede da nova circunscrição na data de 4 de dezembro de 1966, sendo designados como Custódio Geral Frei Conrado de Palmácia, e como assistentes: Frei Timóteo de Canindé e Frei Pacífico de Baturité. Neste período, a nova Custódia contava com 79 professos, entre os quais 32 sacerdotes, 17 irmãos leigos e 30 estudantes de Filosofia, Teologia e Científico, além de 10 noviços, 70 seminaristas, 45 pré-seminaristas e postulantes leigos (10) distribuídos em 7 casas, sendo 6 de formação. Depois, assumiu o governo da Custódia Geral Frei Timóteo de Canindé, entre 1970-1971, quando foi eleito bispo de Tianguá – Ceará.

Em 17 de junho de 1970, por decreto do Ministro Geral da Ordem, Frei Pascoal Riwalski, a Custódia passa a ser Vice-Província. Frei Pacífico Holanda assume o governo do tempo restante do último triênio da Custódia Geral. No primeiro Capítulo da Vice-Província, realizado em novembro de 1972 em Juazeiro do Norte – Ceará, é confirmado no governo e o assume entre os anos 1972 a 1976. Neste Capítulo, foram elaboradas as “Metas e Normas” da Vice-Província, e nos seguintes foi avaliada e incrementada a execução das mesmas.

Em janeiro de 1976, no segundo Capítulo realizado em Parnaíba – Piauí, foi eleito e assume o governo Frei Geraldo Nascimento, re-eleito em dezembro de 1978, no terceiro Capítulo celebrado em Guaramiranga, e governou a Vice-Província até 1981.  Em dezembro deste ano, é eleito no quarto Capítulo Frei Nazário Oliveira, que governa como vice-provincial até 5 de julho de 1983, quando por decreto do Ministro Geral, Frei Flávio Carraro, de 31 de maio de 1983, a Vice-Província é transformada em Província. Frei Nazário assume o governo como ministro provincial da nova Circunscrição Capuchinha, denominada Província São Francisco das Chagas.

O governo da nova Província fica assim constituído: Frei Nazário Oliveira, ministro provincial (que governou de 1983-1988), e os definidores: Frei João Alberto (Vigário Provincial), Frei Roberto Magalhães, Frei Edmilson Vieira e Frei Ozanir Martins.

A nova Província possuía, na época (1983): 7 conventos (6 casas de formação); 14 obras sociais (7 escolas, 5 Pão dos Pobres de Santo Antônio, 1 Abrigo de Velhos, 1 Abrigo de Romeiros); 46 professos perpétuos (36 sacerdotes, 7 irmãos leigos, 3 bispos); 2 professos temporários, 8 noviços, 8 postulantes, 38 seminaristas.

Sucedeu Frei Nazário no governo: Frei Domingos Teixeira Lima, eleito em dezembro de 1988, em Guaramiranga, e re-eleito em dezembro de 1991, no mesmo local; Frei João Alberto de Araújo, eleito no quinto Capítulo Provincial, em dezembro de 1994, re-eleito em dezembro de 1997, em Guaramiranga; em novembro de 2000, foi eleito como Ministro Provincial Frei Hermínio Bezerra de Oliveira; sucedeu-lhe Frei João Alberto de Araújo, eleito em dezembro de 2003 e re-eleito para mais um mandato, encerrado em 2009; em dezembro deste ano, elegeu-se Frei Henrique Araújo, que permanece atualmente no governo.

A Província assumiu por certo tempo trabalhos missionários e pastorais em: Mineirolândia – Ceará, 1995; em Quixadá, 1979; em Itararé II, 1987 (experiência de inserção); em Maracanaú, 1987. Estas experiências foram todas extintas.

As últimas fraternidades erigidas pela Província foram: a Residência Missionária São Francisco de Assis, em Lagoa de São Francisco – Piauí, em março de 1995, que passou a ser, em 1997, Casa de Noviciado; a Residência Missionária Frei Damião de Bozzano, em Uruçuí, inaugurada em 2006, cuja presença, no entanto, nesta cidade foi iniciada em 2000; e finalmente a Fraternidade Nossa Senhora da Conceição, em Jaguaretama, interior do Ceará, assumida em 2011.

FONTE: 

Postagens mais visitadas deste blog

Adriano Lima dos Santos

Corpus Christi e Renovação do MESCE